close button

publicidade
SING 2

Sing 2 | É a melodia que precisava e só não sabia ainda

Sing 2 é a sequência divertida, alegre e com muita referência da música pop do filme de 2016. Com personagens incríveis, uma história divertida e muito familiar, com uma bela lição sobre sonhar alto e não desistir, Sing 2 chega aos cinemas para a gradar tanto a criançada que se verá preso nos shows coloridos de músicas, quanto para os adultos que conseguem captar as pequenas nuances do longa.

Sing 2 abre não muito longe de onde a primeira parte terminou. Buster Moon (dublado por Matthew McConaughey) está apresentando musicais em seu teatro de cidade pequena e espera chamar a atenção de um grande caçador de talentos de Redshore City, a capital do entretenimento deste mundo. Mas depois de ter sua chance negada, Buster convence sua trupe a viajar para Redshore City e fazer o teste diretamente na frente do maior magnata do entretenimento – Jimmy Crystal (Bobby Cannavale). O resto do filme segue a tentativa da trupe de sair em um musical de ópera espacial grandiosa enquanto tenta obter a estrela do rock reclusa Clay Calloway (Bono em uma participação especial) para ajudá-los.

Sing 2 acerta muitas coisas. Os personagens são simpáticos e – mais importante para um filme infantil – adoráveis ​​em design. Buster Moon puxa as cordas de seu coração com seus esforços constantes para não abandonar seu sonho. A animação também é excelente. Com a presença de sets extravagantes no musical do filme, os animadores tiveram a chance de encantar o público com visuais espetaculares. E eles fazem isso. 

Em Sing 2 os visuais e as músicas definitivamente mantêm você envolvido, mas não chegam a ser cativantes ou inspiradores. A música é a espinha dorsal do filme. Existem muitas referências à cultura pop, desde músicas de Shakira e Adele até as músicas de Clay Calloway, sendo todas Bono e U2.

As crianças certamente vão adorar Sing 2 porque o enredo é simples. Tem uma premissa simples e uma conclusão quase precipitada, mas chega lá com estilo. A combinação de bons visuais e boa música significa que mesmo aqueles que não são necessariamente fãs do primeiro filme podem apreciá-lo. E a dublagem brasileira? Bem, eu sou a maior defensora das dublagens, e devo dizer que esse filme escolhe vozes que combinam excepcionalmente com os personagens. Te garanto que não vai se arrepender!

Sing já está em cartaz nos cinemas. Confira a programação na sua cidade!

Confira também: Crítica | Turma da Mônica: Lições

Postagens Relacionadas

Aves de Rapina

Aves de Rapina: Arlequina E Sua Emancipação Fantabulosa (Birds of Prey: And the Fantabulous Emancipation of One Harley…