close button

publicidade

Resenha | A Conquista (Off Campus #4)

A Conquita é o quarto livro, da série Off Campus de Elle Kennedy , e gira em torno do último colega de quarto solteiro da casa – Tucker e Sabrina, a superdotada estudante ligada à lei de Harvard, que por acaso é do Dean (O Jogo) nêmesis. Quando os olhos de Tucker e Sabrina se encontram do outro lado do bar, há faíscas. Sabrina quer uma coisa de uma noite. Tucker quer mais. O que nenhum dos dois esperava é que Sabrina engravidasse. O desejo de Sabrina de deixar para trás seu passado vergonhoso a faz reprimir suas emoções. Ela não quer arruinar a vida de Tuck mais do que acha que já fez. Tucker não é o tipo de sentar e deixar que ela cuide de tudo, e o fato de que ela é insanamente inteligente, linda de morrer e doce, não é preciso muito para ele se apaixonar por ela. Mas Sabrina pode se permitir sucumbir aos seus sentimentos crescentes por Tucker? E esse bebê mudará suas vidas para melhor ou para pior?

A formanda da faculdade, Sabrina James, tem todo o seu futuro planejado: formar-se na faculdade, entrar em Havard e conseguir um emprego bem remunerado em uma empresa implacável. Seu caminho para escapar de seu passado vergonhoso certamente não inclui um lindo jogador de hóquei que acredita no amor à primeira vista. Uma noite de calor escaldante e ternura surpreendente é tudo o que ela está disposta a dar a John Tucker, mas às vezes, uma noite é tudo o que você precisa para mudar toda a sua vida.

Mas o jogo ficou muito mais complicado …

Tucker acredita que ser um jogador de equipe é tão importante quanto ser a estrela. No gelo, ele está bem em ficar fora dos holofotes, mas quando se trata de se tornar um pai aos 22 anos, ele se recusa a ser um aquecedor de banco. Não faz mal que a futura mãe de seu filho seja bonita, esperta e o mantenha alerta. O problema é que o coração de Sabrina está apertado e a morena fogosa é teimosa demais para aceitar sua ajuda. Se ele quer uma vida com a mulher dos seus sonhos, terá que convencê-la de que alguns objetivos só podem ser alcançados com uma assistência.

Fiquei um pouco preocupado ao ler este livro. Tucker nos outros livros é quieto e relaxado, então eu não me senti tão conectado a esse personagem como me senti com os outros. E cada interação com Sabrina em O Jogo a coloca na categoria de cadela. Mas eu adorei os outros livros, então eu senti que se alguém pode me fazer gostar desses personagens, é Elle Kennedy. Gostei muito da história. Não é um conceito original, mas não o tornou menos agradável para mim. A química entre Tucker e Sabrina é ótima, e embora as brincadeiras não sejam nem de perto tão incríveis quanto os outros livros, é claro que eles se respeitam muito.

Uma das coisas que apreciei foi o quão realista Elle Kennedy escreveu sobre a maternidade. Amar seu filho de todo o coração – mas nem tudo é felicidade e abraços doces para bebês. Não é fácil. Adicione ser um aluno em um programa competitivo e tentar construir um negócio, é brutal. Portanto, muito respeito a Elle Kennedy por não glamorizar a maternidade, como muitos desses livros fazem. Meu único problema era o dialeto de Logan. Lembro-me de ter sido mencionado em outros livros que ele era do sul, mas toda a coisa de “querida” realmente me atingiu. Tipo, de onde diabos veio isso?

Se você não se importa com as crianças sendo apresentadas ao seu romance, provavelmente não vai gostar disso. Eu sei que muitos leitores de romance – incluindo aqueles com filhos – não gostam desse tropo. Dito isso, se você não se importa – você vai se divertir. O sexo é quente entre os dois, e o romance é doce. Temos a rara combinação em que o homem é o romântico e a mulher é o cético, e isso funciona muito bem com os arcos de seus personagens. Sinceramente? Meu preferido da série.

Postagens Relacionadas