close button

publicidade

Studios Ghibli | A Viagem de Chihiro (2001)

Então vamos do filme vencedor de Oscar, que eu confesso que demorei muito para assistir, apenas porque sim. Mas aqui estou eu para mais análise de um filme dos Studios Ghibli, e Melhor Animação foi pouco da Academia. A Viagem de Chihiro devia ter ganhado na categoria principal de Melhor Filme.

Com filmes como “Meu Amigo Totoro”, “O Castelo Animado” e “Princesa Mononoke”, Miyazaki desenvolveu um nome para si mesmo como um dos melhores diretores de animação da história. Já faz algum tempo que pretendo assistir a vários filmes do Studio Ghibli, inclusive, tem alguns dos meus reviews de outros que já tive o prazer de ver.

A história de “A Viagem de Chihiro” segue uma jovem chamada Chihiro que, após ela e seus pais vagarem pelo que parece ser um parque de diversões abandonado, se encontra presa em um estranho mundo de monstros e espíritos. Seus pais são transformados em porcos como punição por sua gula, e Chihiro deve descobrir como transformá-los de volta ao mesmo tempo em que permanece segura no processo. Esta tarefa a coloca em uma aventura em uma comunidade fantasmagórica, onde ela encontra várias criaturas assustadoras e fascinantes; alguns desejando ajudá-la e outros com mais más intenções. 

Os designs e animações das criaturas e espíritos neste filme são nada menos que encantadores. Eles variam de designs simples, como sapos bípedes, até o visual mais complexo de No-Face, uma misteriosa figura mascarada que segue Chihiro em grande parte do filme. O requintado balneário, onde grande parte do filme se passa, parece um palácio. A grande arquitetura e o fluxo interminável de personagens estranhos em seus corredores fazem com que pareça um lugar que você visitaria em um sonho. 

A Viagem de Chihiro também apresenta muitos eventos e sequências estranhas que combinam perfeitamente com a natureza estranhamente atraente dos visuais. Seja em suas interações desequilibradas com o homem parecido com uma aranha que trabalha na sala da caldeira ou nos inúmeros encontros bizarros com No-Face, a busca de Chihiro para salvar seus pais e encontrar seu caminho para fora deste mundo desconcertante facilmente cativa o público com suas esquisitices.

É difícil não investir em Chihiro e em sua jornada. O público quer que ela tenha sucesso, mas a ideia de deixar a casa de banho parece triste porque é um lugar tão fascinante e mágico. Mesmo que partir seja uma parte crucial do que Chihiro precisa fazer, a natureza estranha e inexplicavelmente encantadora deste mundo quase faz você desejar que ela ficasse.

A história de A Viagem de Chihiro é sem dúvida excelente, mas a verdadeira magia do filme está no mundo que Miyazaki cria. As estranhas criaturas e magia fazem você querer ir se visitar, o que faz você querer assistir novamente o filme imediatamente quando ele acabar. 

“A Viagem de Chihiro” certamente tem alguns momentos estranhos, mas eu imagino que qualquer um será arrebatado pela aura deslumbrante, maravilhosa e às vezes assustadora que o filme oferece. É um tipo de filme de animação muito diferente do que você veria em qualquer estúdio de animação ocidental, e é exatamente por isso que você deve assisti-lo. 

A Viagem de Chihiro

A Viagem de Chihiro
5 5 0 1
Chihiro e seus pais estão se mudando para uma cidade diferente. A caminho da nova casa, o pai decide pegar um atalho. Eles se deparam com uma mesa repleta de comida, embora ninguém esteja por perto. Chihiro sente o perigo, mas seus pais começam a comer. Quando anoitece, eles se transformam em porcos. Agora, apenas Chihiro pode salvá-los.
Chihiro e seus pais estão se mudando para uma cidade diferente. A caminho da nova casa, o pai decide pegar um atalho. Eles se deparam com uma mesa repleta de comida, embora ninguém esteja por perto. Chihiro sente o perigo, mas seus pais começam a comer. Quando anoitece, eles se transformam em porcos. Agora, apenas Chihiro pode salvá-los.
5/5
Total Score
Postagens Relacionadas
Leia Mais

Tenku Shinpan – Sem Saída

Não posso negar que uma das maiores vantagens em ser uma empresa como a Netflix é poder explorar…