close button

publicidade

Shang Chi e a Lenda dos Dez Anéis | Crítica

Não sabia o quanto senti falta de um filme solo introduzindo um novo personagem até assistir a Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis. O novo filme da Marvel, que estende sua Fase 4 do MCU chega como um bálsamo, depois de seu último filme Viúva Negra. Não sei se foi a energia da sala de cinema, mas senti que esse filme foi muito mais parecido com quando ainda estávamos vendo a Fase 1 da Marvel sendo criada. Com filmes de origem e toda aquela expectativa de conhecer um novo herói.

Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis não apenas apresenta um novo herói como tambem coloca a representatividade no MCU, ao introduzir um herói asiático. E que carta de amor esse filme é a Cultura Chinesa. Não apenas por colocar os atores de origem asiática, mas também por estar nos bastidores essa presença.

Como consumidora de muitos conteúdos asiáticos, fiquei emocionada ao ver como a Marvel realmente se dedicou a colocar a cultura chinesa no filme. Não apenas jogar uns closes das cidades chinesas, mas ao usar corretamente dos elementos de suas crenças e mitos. E o mais importante: chineses que falam chineses. Nunca foi tão satisfatório saber que estadunidenses precisarão de legendas para ver esse filme.

A história de Shang-Chi

O longa nos abre então para a origem do herói que nos quadrinhos é conhecido por suas grandes habilidades de luta – principalmente o kung fu – e segue Shang tendo que retornar para suas origens depois que capangas de seu pai – um lider de uma organização criminosa conhecida como Dez Anéis – aparecem em São Francisco e roubam um objeto valioso dado a ele pela sua falecida mãe. Então sabendo que o próximo alvo é sua irmã, Shang volta para Macau, na China, e lá ele precisa enfrentar os pesadelos do passado e salvar o lar de sua mãe que está sendo ameaçado.

Os aspectos do filme

Esse filme está cheia de homenagem aos grandes astros do Kung Fu, Bruce Lee e Jack Chan, em momentos de lutas, com movimentos que quem gosta dos filmes dos astros, certamente vão reconhecer. O uso do CGI e animação para recriar os animais míticos das lendas chinesas também foram muito bem aproveitados. Se como eu, pessoas que consumem C-Dramas vão reconhecer muitos deles.

E vamos falar também da melhor amiga. Afinal todo heróis precisa de seu braço direito, e Katy não decepciona em nada. Ela literalmente é a amiga para todos os momentos. E de verdade, ela é a verdadeira heroína desse filme. A mira da garota não falhou!

O filme apresenta uma história de origem que é muito mais que apenas mostrar como um cara comúm se tornou um herói, mas também mostra a importância de saber quem é e se aceitar, com as partes boas e ruins. A simbologia mais importante da cultura chinesa é o Yin e Yang, de forma subjetiva, toda a jornada de Shang é exatamente ele encontrar seu ponto de equilíbrio entre as duas partes que vivem dentro dele.

Sinceramente, Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis foi um dos melhores filmes solos da Marvel até o momento. E está sim no meu top 3 de favoritos. Eu estou bem ansiosa para saber mais sobre a jornada de Shang e como seu caminho será traçado daqui pra frente no MCU.

Ah, e o filme tem duas cenas pós-créditos (naquele estilo Marvel que eu sei que você sentiu falta) então não saia da sala de cinema! O filme estreia dia 2 de setembro e estará na plataforma do Disney+ a partir da terceira semana de outubro.

Shang-Chi e a Lenda Dos Dez Anéis

Shang-Chi e a Lenda Dos Dez Anéis
5 5 0 1
Depois de enfrentar os capangas enviados por seu pai, Shang, um jovem chinês que vive em São Francisco, precisa retornar à China para enfrentar seu passado e impedir seu pai de destruir o lar de sua mãe.
Depois de enfrentar os capangas enviados por seu pai, Shang, um jovem chinês que vive em São Francisco, precisa retornar à China para enfrentar seu passado e impedir seu pai de destruir o lar de sua mãe.
5/5
Total Score
Postagens Relacionadas