close button

publicidade

High School Musical: The Musical – The Series (2ª Temporada)

Uma fórmula de sucesso, quando se encontra, acaba se repetindo várias vezes, e sendo um exemplo a se seguir das concorrentes que querem alcançar o mesmo sucesso. Mas fugir do rotineiro pode ser o mais corajoso caminho para continuar relevante, principalmente no mundo da televisão e das ficções da TV. Apesar de se utilizar a nostalgia para chamar a atenção em sua primeira temporada, High School Musical: The Musical – The Series seguiu um caminho peculiar, mas que pode ser algo já visto antes, mas que abriu espaço para outros personagens se destacarem, ao encerrar e retirar o holofote do romance principal.

Após o “sucesso” da encenação do musical High School Musical feito as pressas, o clube do teatro de East High está se preparando para a sua segunda peça, e por mais óbvio que fosse a sequência de férias de High School Musical, eles entram de cabeça em uma competição colegial de teatro encenando a peça a ela e a Fera. Mas o desafio começa quando a escola rival está montando a mesma peça, com técnicas tiradas da Broadway, e os dilemas adolescentes começam a ficarem maiores com as mudanças.

Enquanto a primeira temporada se apoiou na nostalgia e na inserção de referências ao primeiro filme, repetir a mesma estrutura poderia ser um tiro no próprio pé, já que a primeira temporada dividiu opiniões. Mas a segunda temporada resolveu alguma problemas estruturais, e a segunda temporada é mais agradável que a primeira.

Um dos grandes pontos que a primeira temporada não funcionava – principalmente para quem vos escreve – é a incessante tentativa de forçar o casal Rick (Joshua Bassett) e Nini (Olivia Rodrigo), que não tinha qualquer química na primeira temporada, e ainda entregava vergonha alheia em algumas cenas. Já aqui, a história dos dois acaba ficando em segundo plano, mesmo que tenha uma grande importância na primeira metade da temporada, mas foi uma jornada para separar eles, sem ser abrupta ou como o próprio relacionamento deles na primeira temporada, forçada. Devo admitir que senti muita, mas MUITA raiva das atitudes tóxicas de Rick até uns episódios após o término do casal.

A própria jornada mais solitária de Nini, por mais secundária que fosse em vista de seu romance, foi crescendo gradualmente, e levando mais da veia artística de Olivia Rodrigo para a Nini como compositora. E deu vontade mesmo de continuar acompanhando sua jornada como compositora.

Uma vez que o romance forçado deste casal saiu dos holofotes, a série se permitiu desenvolver os outros personagens, dando o merecido destaque que eles mereciam, e que ficassem dependentes de Nini e Rick. Ashlyn (Julia Lester) ganha maior destaque como a protagonista da peça e um desenvolvimento maior com sua insegurança de ser o centro das atenções; Gina (Sofia Wylie) ganha maior profundidade, se permitindo criar laços reais de amizade com o grupo do teatro; Kourtney (Dara Renee) – finalmente – coloca em prática seu “abaixo ao patriarcado” ao deixar de ser a amiga escada da protagonista.

Apesar de fugir de repetir o que fora feito na franquia de filmes de High School Musical, a série não de isenta de comparativos. Mas específicos com outra produção musical: Glee. Essa segunda temporada de assemelha – e vou repetir: se assemelha muito com alguns aspectos da segunda temporada da série musical de Ryan Murphy, principalmente no quesito de em todo episódio possui no mínimo uma música original. Tudo bem que é uma produção bem Disney Channel, mas lembrando um pouco dos estudantes da McKinley, a segunda temporada teve aquele plot do grupo do coral escrever músicas originais para apresentar na competição daquele ano, e aqui, por ser Disney, existe uma música original a todo episódio, quando não são duas, e devo admitir, são muito divertidas. Principalmente por acompanhar um número de apresentação, quase clipe, que ajuda no marketing do single.

High School Musical: The Musical – The Series soube aproveitar ainda mais os personagens, se desvencilhando da estrutura previsível que fora os filmes, e surpreende com apresentações maiores e mais artísticas das músicas conhecidas do filme de Alan Menkin A Bela e a Fera, oferece maior espaço para outros personagens que foram utilizados apenas como escada para os protagonistas sem sal, e que mesmo que no final tenha uma sensação de MacGuffin, já que o grande motivador inicial da temporada perde sua importância no final, mas que foi necessária para trazer a superfície novos desafios para os personagens, e dando para eles mais camadas que ficaram faltando na primeira temporada.

High School Musical: The Musical – The Series (2ª Temporada)

High School Musical: The Musical – The Series (2ª Temporada)
3 5 0 1
Após o sucesso da primeira peça, o grupo de teatro planeja a peça de primavera como a sequência High School Musical 2, mas eles são surpreendido quando a Sra. Jen decide reproduzir A Bela e a Fera com o intuito de derrotar seu antigo inimigo de escola, que dirige o grupo de teatro da escola rival da East High.
Após o sucesso da primeira peça, o grupo de teatro planeja a peça de primavera como a sequência High School Musical 2, mas eles são surpreendido quando a Sra. Jen decide reproduzir A Bela e a Fera com o intuito de derrotar seu antigo inimigo de escola, que dirige o grupo de teatro da escola rival da East High.
3/5
Total Score
Postagens Relacionadas
Jungle Cruise - Geek Antenado Review
Leia Mais

Jungle Cruise | Disney

Adaptado de uma de suas atrações dos parques Disney, Jungle Cruise chega para trazer aquela aventura da velha…