close button

publicidade
Space Jam: Um novo legado --- critica Geek Antenado

Space Jam: Um Novo Legado

Sabe, eu confesso que sim, as vezes reboots são a pior coisa que poderiam fazer com o legado de um filme. E talvez muitas pessoas que são fãs do filme de 1996 não vá gostar muito desta nova versão do filme. No entanto, Space Jam: Um Novo Legado é tão absurdamente fora da curva, que você acaba se divertindo pelo completo absurdo que o filme te apresenta.

Space Jam: Um Novo Legado garante que quem nunca viu o filme anterior possa curtir e embarcar nessa aventura, que em sua essência continua a mesma: um jogador de basquete acaba parando em uma Terra Mágica Animada onde precisa usar suas habilidades para, ao lado do Looney Tunes, tentar vencer o vilão do filme. Um Novo Legado não poderia servir melhor à história: o filme não é uma sequência, nem mesmo um reboot, encaixando-se muito mais como uma carta de amor aos Looney Tunes e ao vasto portfólio de campeões de bilheteria da Warner, que pode muito bem servir como um abraço carinhoso aos fãs dos desenhos.

E acredite: não há ninguém que se diverte mais durante os 115 minutos de ‘Um Novo Legado’ que “King” James. O astro das quadras está, simplesmente, impecável em frente às câmeras, atuando de forma até melhor que muitos atores em cenas que pedem emoção ou nervosismo, por exemplo. É notável também ver um sorriso “meio bobo” do ala dos Los Angeles Lakers em vários momento por estar cercado (claro, de uma grande tela verde de chroma key, mas também) de Looney Tunes, diferente da postura meio séria e ranzinza da lenda Michael Jordan em ‘Space Jam: O Jogo do Século.

Aqui, Space Jam: Um Novo Legado se apoia exclusivamente na tecnologia utilizada, cheia de efeitos especiais e que parece que efetivamente estamos dentro de um jogo de vídeo-game, e nas diversas piscadelas que o texto faz para o grande Universo de Personagens e propriedades intelectuais da Warner Bros. Pictures. Space Jam: O Jogo do Século e Space Jam: Um Novo Legado se mantém como filmes que falam e passam uma mensagem super bacana e estão separados apenas pelo grande servidor do estúdio onde o jogador LeBron James (que interpreta ele mesmo) e seu filho Dom (Cedric Joe) vão parar depois de uma discussão sobre sonhos e o que cada um que fazer com seu futuro para o desespero da mulher (ficcional) dele, a jovem Kamiyah James (Sonequa Martin-Green) e seus outros filhos.

Outra pessoa que não teve medo de se divertir foi Don Cheadle com “Al-Geritimo”, uma inteligência artificial trapaceira e invejosa responsável por aprisionar Lebron e o filho mais velho jogador, Dom, em um espaço digital. O ator de 56 anos abraça o lado caricato e traz um tipo de personagem que talvez nunca tenha feito ao longo de sua carreira até então, piadista e cheio de trejeitos. A motivação para todo o caos causado pelo vilão, no entanto, é rasa e bem “mamão com açúcar” – o que, de nenhum jeito, interfere na atuação do eterno “James Rhodes”, do Universo Cinematográfico Marvel (MCU).

Não bastasse apenas trazer Pernalonga, Patolino, Piu-Piu, Lola Bunny, Frajola, Gaguinho e todo o restante dos personagens para as telas novamente, Space Jam: Um Novo Legado vai muito além: de repente, o maior crossover do cinema está bem diante do público, juntando o Máskara, Pennywise, Scooby Doo, Os Flintstones e todo o catálogo de personagens originais da WarnerMedia em um só cenário. Extrapolar os próprios limites não parece ser um problema aqui, e se o público se entregar para o bizarro da proposta, o humor é agradável e as situações podem render boas risadas independente da faixa etária dos espectadores.

Space Jam: Um Novo Legado não é tanto sobre o jogo, quem vai ganhar, ou como eles vão ganhar, e sim sobre a relação entre esse pai e esse filho e como tudo isso deu pano de manga para a intromissão dessa tecnologia. Claro, a cena do jogo em si é divertidíssima com destaques para Lola Bunny (voz de Zendaya no original), Pernalonga, a Vovô, Ligeirinho e o Piu-Piu que saem de suas formas animadas e ganham uma nova roupagem. Todos eles tem seus momentos, suas piadinhas, e tudo mais e realmente dão o ar da graça. Mas efetivamente o novo filme não é mais sobre eles, mesmo que boa parte da graça fique neles.

Na dublagem original em inglês, vários ícones conhecidos da NBA dublam e servem como molde aos jogadores do Esquadrão Valentão, como Klay Thompson, Anthony Davis, Damian Lillard, Diana Taurasi e Nneka Ogwumike – algo que Lebron aproveita até para fazer algumas piadas mais intrínsecas ao contexto da liga na vida real. Ainda sobre dublagem, as vozes em português são atrações a parte e fazem o público ficar ainda mais satisfeito com o filme (sério, não há como não sorrir no primeiro “O que é que há, velhinho?” falado por Alexandre Moreno, voz oficial do Pernalonga desde os anos 2000).

Nos aspectos técnicos, Space Jam 2 é um verdadeiro deleite visual dado à época em que é lançado e o contexto de toda a história: impulsionado por um videogame e dentro de uma base de dados com uma tecnologia de ponta, o filme propõe uma nova roupagem para os Looney Tunes, tanto em animação 2D quanto 3D, utilizando boas doses de CGI. Cada centavo do orçamento destinado aos efeitos visuais é notado na tela, que explode em cores vibrantes e um cenário tão detalhado capaz de transbordar pelas beiradas.

A margem de erro em produções que surgem nessa onda nostálgica que tomou Hollywood é muito grande, mas não é necessário temer quando existe amor em um trabalho, e Space Jam: Um Novo Legado ama seus personagens e sua história — por mais enfadonha que possa vir a ser. Independentemente das situações sem pé nem cabeça que surgem no meio da trama, o público poderá matar a saudade dos rostos e tradicional humor que acompanharam durante toda a sua infância e adolescência; e cujo carinho é passado de geração para geração até os dias atuais.

Space Jam: Um Novo Legado já está em cartaz nos cinemas.

Space Jam: Um Novo Legado

Space Jam: Um Novo Legado
4 5 0 1
O superastro do basquete LeBron James se junta à gangue Looney Tunes para derrotar o Goon Squad e salvar seu filho.
O superastro do basquete LeBron James se junta à gangue Looney Tunes para derrotar o Goon Squad e salvar seu filho.
4/5
Total Score
Postagens Relacionadas