close button

publicidade

Rua do Medo: 1666

E chegamos a esse ponto, o derradeiro terceira parte de uma trilogia. Aquela parte onde os acontecimentos são grandiosos, grandes revelações são feitas e toda a verdade é conhecida e temos a conclusão final para a aventura dos nosso heróis. Lógico que a jornada até então foi uma experiência inigualável, e a Rua do Medo, primeira trilogia produzida pela Netflix chega a seu terceiro filme a concluir sua saga e deixar aquele gostinho de conhecer mais sobre essa história, independente do herói sobreviver ou não, e o vilão encontrar seu ponto final ou ser apenas um breve até logo, e neste filme, as apostas são altas, e vamos para o passado, e descobrimos toda a verdade por traz da rixa entre Sunnyville e Shadyside, e a origem da Maldição de Sarah Fier.

Na terceira parte, Deena (Kiana Madeira) consegue reunir o corpo e a mão perdida de Sarah Fier, e então é levada para o passado, em 1666, e pelos olhos de Sarah descobre o que aconteceu a União, condado original, e seus habitantes, e descobre a origem da Maldição que assombra Shadyside e que de tempos em tempos um novo assassino é enfeitiçado para cometer os mais macabros crimes. E com a verdade, Deena tem a chave para parar a maldição de uma vez por todos.

Enquanto que o primeiro e o segundo filme mergulharam nos arquétipos e tropos narrativos de um terror slasher, subgênero bem popular dos anos 1980-90, o terceiro filme volta para sua origem, assim como a própria premissa do filme, e caímos no terror de colônia, com a temática da caça as bruxas, que vira e mexe sempre aparece nos filmes de terror e suspense sobrenatural. Aqui temos uma certa inspiração velada com A Bruxa (2015), um dos filmes de terror da nossa época, que explorou a temática do terror de colônia, além de construir sua narrativa baseada nos costumes e informações concretas da época.

1666 pode ser dividido em três atos bem determinísticos: o início despretensioso, mostrando a rotina superficial e apresentando esses novos personagens sob a perspectiva de nossa heroína, e como essa rotina é quebrada pelos jovens da vila; os estigmas maléficos, uma série de acontecimentos que mostram que há algo corrompido neste lugar, culminando na caça a bruxa, totalmente baseada na histeria coletiva, originária da vingança; e a conclusão com consequências, quando vemos o final desta história e como a maldição de fato opera.

Apesar de bem definido as partes, o filme soube escalonar a tensão e o perigo pouco a pouco, deixando este, o menos sanguinolento dos três, mas não o menos macabro. A ambientação, a trilha sonora e toda a parte de maquiagem e figurino estão fazendo jus a sua inspiração, e criam um ambiente que ao mesmo tempo parece acolhedor, também guarda o perigo nas sombras.

Reencontramos rostos conhecidos dos outros filmes, só que aqui, eles estão sob a perspectiva de Sarah Fier (Elizabeth Scopel), o que levanta a questão se eles que conhecemos em 1666 são um reflexo da conexão Deena, ou se apenas são reencarnações das mesmas pessoas. Alguns até concluímos que sejam reencarnações, principalmente a família Goode, mas outras conta com sobrenomes novos, o que levanta ainda mais detalhes para a escolha de reutilizar os mesmos atores para fazer dois papéis.

A mensagem principal do filme foi sobre a verdade, e como ela sempre alcança a superfície para fazer justiça para os injustiçados.

Rua do Medo: 1666 honra a base do terror, e cria algo monumental para o terror, e principalmente para a Netflix, mas que principalmente recorre a inspirações de sucesso do terror e conta de sua própria forma uma história nova, que tenha a inspiração das obras de R.L. Stine e ainda consiga absorver dos clássicos dos filmes de terror e slasher, mas com sua própria identidade.

Rua do Medo: 1666

Rua do Medo: 1666
5 5 0 1
Conhecendo a origem da Maldição de Shadyside, Deena vê pelos olhos de Sarah Fier a verdade por trás da maldição que vem criando assassinos macabros dos moradores de Shadyside há anos, enquanto busca pela verdade para acabar com ela.
Conhecendo a origem da Maldição de Shadyside, Deena vê pelos olhos de Sarah Fier a verdade por trás da maldição que vem criando assassinos macabros dos moradores de Shadyside há anos, enquanto busca pela verdade para acabar com ela.
5/5
Total Score
Postagens Relacionadas