close button

publicidade

06 livros de Mulheres para Mulheres

Já que ler, ouvir e ver notícias pode acabar com nossa sanidade – ainda mais se você é brasileiro-, porque não usamos esse tempo para adquirir outros tipos de conhecimento? Além de preencher o tempo com conteúdo de qualidade, a leitura pode ajudar a relaxar e prender a atenção em outros assuntos em meio a tantas notícias e preocupações causadas pela pandemia. Fica a dica!

Então desce pra baixo e confere ai nossa lista com 06 livros ótimos para você ler e se abastecer com informações e conhecimentos que podem te agregar muito mais que ansiedade e crises de pânico.

1. Mulheres, raça e classe, de Angela Davis

Referência para o movimento negro, o clássico da ativista estadunidense fala sobre a escravidão e sobre a forma pela qual a mulher negra foi desumanizada. Em Mulheres, raça e classe, Davis também apresenta o debate sobre o abolicionismo penal como imprescindível para o enfrentamento do racismo institucional.

2. Amora, de Natalia Borges Polesso

O livro da autora gaúcha Natalia Borges Polesso reúne uma série de contos – longos e curtos –sobre a temática lésbica, com narrativas cotidianas sobre a invisibilidade, o preconceito, mas também a descoberta e a persistência do amor (e suas rupturas), com personagens que vão da infância à velhice. 

Publicado pela editora Não Editora, o livro venceu o Prêmio Jabuti na categoria “Contos” em 2016 e o Prêmio Açorianos, na mesma categoria.

3. O pomar das almas perdidas, de Nadifa Mohamed

Um dos destaque da literatura africana, a escritora Nadifa Mohamed mergulha nos anos finais da década de 1980 na Somália em “O pomar das almas perdidas”. Ela descreve o período marcado por uma ditadura sangrenta às vésperas da revolução no país localizado no “chifre” da África, ao leste do continente. 

Para contar um pouco do país em que nasceu, Mohamed interlaça o sofrimento de três mulheres de idades e condições sociais bem diferentes: Kawsar, uma viúva de luto pela filha; Deqo, uma menina nascida e criada em um campo de refugiados; e Filsan, uma jovem soldado que se voluntaria na revolução. Em meio a fugas forçadas e conflitos irreparáveis, as três se reencontram para viver um destino final.

4. Tudo nela brilha e queima, de Ryane Leão

Tudo nela brilha e queima reúne reflexões sobre questões subjetivas e comuns a todas as mulheres, atingidas pelas diversas formas de violência que existem em uma sociedade machista cotidianamente. Por outro lado, a obra também fala sobre a ancestralidade, o acolhimento e o cuidado que existe entre as mulheres, e, mais do que isso, a força e resistência inerente ao gênero feminino. 

5. O que fazer, de Nikolai Tchernichevski 

Imagine ler a íntegra de um livro que inspirou os jovens revolucionários da Rússia e que foi referência para Vladimir Lênin? Pois é! A obra O que fazer, de Nikolai Tchernichevski, foi lançada pela editora Expressão Popular. Ela destaca que o livro influenciou intelectuais russos a desistirem da tentativa de reformar um regime autoritário e passarem para o caminho da revolução. Além disso, a obra traz um debate sobre direitos iguais entre homens e mulheres. 

6. A Menina da Montanha, de Tara Westover

A Menina da Montanha é um relato emocionante e super pessoal de uma mulher que entrou em uma sala de aula pela primeira vez aos 17 anos e transformou a sua vida através dos estudos. Nascida em uma família de mormons no interior dos EUA, Tara foi educada em casa, não tinha certidão de nascimento, nunca tinha ido ao médico e nem tomado remédios até descobrir sua aptidão para a área acadêmica. Uma história emocionante de superação e coragem.

Confira também: 05 Clássicos que você precisa ler antes de morrer!

Postagens Relacionadas
Leia Mais

America – The Motion Picture

Por mais brasileiros que somos, não podemos negar que muito da cultura estadunidense faz parte do nosso cotidiano.…