close button

PUBLICIDADE

Conheça a iniciativa da Motorola em acrescentar línguas indígenas em seus smartphones

A Motorola lançou há duas semanas a nova linha de smartphones da nova geração, com novidades de conexão e requisitos de smartphones premium num preço de intermediário, mas uma das grandes novidades é a inclusão de duas línguas indígenas em seus smartphones: Kaingand e Nheegaru.

Abraçando a inclusão por meio do conceito “Tecnologia mais inteligente para todos“, as duas línguas indígenas adicionadas no suporte dos smartphones em questão estão ameaçadas de extinção, e a Motorola se torna a primeira fabricante de telefones celulares do mundo a dar suporte a um idioma falado na Amazônia.

Qualquer pessoas que tenha um dos novos dispositivos da Motorola, atualizado para Android 11, poderá acessar as línguas Kaingand e Nheengatu, como parte dos 80 idiomas suportados na interface do Android e dispositivos e smartphones Motorola.

Em nota a imprensa, a Motorola ressalta que o projeto foi o resoltado de uma parceria da empresa com o professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Wilmar da Rocha D’Angelis, que tem mais de 40 anos dedicados aos estudos dos povos indígenas e dos idiomas que correm sérios riscos de extinção, segundo dados da Unesco. Além dele, um time de tradutores e revisores dos idiomas Kaingang e Nheegatu atuantes em suas respectivas comunidades indígenas, foram contratados para o projeto.

A Motorola sabe que as populações indígenas estão interagindo com a tecnologia móvel, e fazem parte dos diversos grupos que constituem sua base de consumidores. Com grande parte dos seus usuários presentes na América Latina, a empresa percebeu que nenhuma das línguas indígenas faladas no Brasil ou nos demais países do continente estão presentes no Android. E tampouco faziam parte do padrão de codificação de caracteres universal, Unicode, que compõe os fundamentos para inclusão e representação digital em uma variedade de interfaces digitais.

[…] a Motorola tomou a decisão de trabalhar para preservar e revitalizar algumas dessas linguagens por meio de nossa experiência de software. Atuamos em parceria com o professor e especialista Wilmar da Rocha D’Angelis, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), e representantes de cada uma dessas comunidades indígenas, para adicionar Kaingang, falada no Sul e Sudeste do Brasil, e Nheengatu, falada na Amazônia, Colômbia e Venezuela, aos nossos dispositivos por meio do Android.

comunicado oficial da Motorola à imprensa

A Motorola ainda aponta a importância da integração de línguas nativas escritas, visando sua preservação, e que trabalhará continuamente com a Google para disponibilizar essas línguas em AOSP e Google Gboard, além de continuar atuando com o Consórcio Unicode, para assegurar que todos os dados das línguas coletadas com seu apoio sejam de fonte aberta.

Estamos sendo pioneiros, dando um passo importante em direção a uma experiência móvel mais inclusiva. Nosso trabalho foi marcado pelo desejo de contribuir para a revitalização das línguas indígenas que, segundo a Unesco, estão correndo risco de extinção. Nossa meta foi viabilizar que falantes de Kaingang e Nheengatu pudessem usar a tecnologia como ferramenta de empoderamento da sua cultura. Ao compartilhar nossa inovação com outros fabricantes e profissionais da globalização, estamos ampliando o impacto desse projeto, pavimentando o caminho para que mais línguas indígenas estejam disponíveis no Android no futuro.

diz Janine Oliveira, diretora executiva de Globalization Software da Motorola Mobility

A Motorola continua conduzindo pesquisas em comunidades indígenas e está engajada com equipes regionais para enriquecer as experiências com a marca e melhorar a vida dos consumidores.

A décima geração da família g da Motorola já está disponível nas lojas varejistas físicas e online, além da loja oficial da Motorola.

Postagens Relacionadas