close button

PUBLICIDADE

#Oscar2021| Conheça e saiba onde assistir 8 dos 15 curta-metragem indicados à premiação

Demorou um pouco dessa vez, mas enfim é época de mais uma temporada de Oscar e, para variar, a meta da vez para muita gente é assistir todos os filmes indicados a tempo da cerimônia no próximo 25 de abril. E como todo ano, a dificuldade é encontrar os quinze projetos lembrados nas categorias de Melhor Curta-MetragemCurta de Animação e Documentário em Curta-Metragem.

A boa notícia da vez é pelo menos metade já se encontra disponível para se assistir online ou em plataformas de streaming presentes no Brasil. O legal é que os principais nomes da corrida de animação e praticamente todos os candidatos a documentário no formato já podem ser assistidos na íntegra – e reunimos todos neste post para facilitar a vida.

Melhor Curta-Metragem

“Two Distant Strangers”

Dirigido por Travon Free e Martin Desmond Roe, o curta com quê de onírico acompanha um jovem negro que tenta todo dia voltar para casa e encontrar seu cachorro, mas é impedido por forças policias que o fazem reviver um dia horroroso. De acordo com a Variety, “Two Distant Strangers” chega ao catálogo da Netflix no mundo no próximo dia 9 de abril.

“Feeling Through”

Dirigido por Doug Roland, o filme de 20 minutos acompanha o encontro de um jovem com um homem cego certa noite em Nova York. O projeto ganhou o prêmio de todos os eventos onde foi exibido, incluindo aí festivais de cinema de Nápoles, Lake City, San Diego e Portland.

Você pode conferir na integra no Youtube.

“White Eye”

Com direção assinada por Tomer Shushan, “White Eye” foi um dos vencedores da seção de curtas no último SXSW. A premissa é simples: um homem perde sua bicicleta e a descobre em posse de outra pessoa, o que a leva a acreditar que o veículo foi roubado.

O curta está disponível na Integra no T-Port Market.

Melhor Animação em Curta-Metragem

“Toca”

Também conhecido como o curta da Pixar que “acompanha” a sessão do longa principal, “Toca” faz parte da iniciativa Sparkshorts do estúdio e foi lançado simultaneamente a “Soul” no fim do ano passado dentro do catálogo do Disney+. Na trama do filme dirigido por Madeline Sharafian, um coelho busca encontrar o local ideal para morar isolado debaixo da terra, mas só encontra vizinhos por onde cava.

“Se Algo Acontecer… Te Amo”

Produzido pela Gilbert Films e a Oh Good Productions, o curta animado dirigido por Will McCormack e Michael Govier foi um sucesso inesperado na Netflix em novembro do ano passado, aparecendo em diversos Top 10 do streaming ao redor do mundo. A produção é forte no quesito emocional, acompanhando a história de um casal que precisa lidar com a morte da filha que foi vítima de um tiroteio em uma escola nos EUA, mas tudo é contado por meio das sombras dos personagens de uma forma minimalista e tocante.

Melhor Documentário em Curta-Metragem

“Colette”

Produzido pelo The Guardian, a reportagem registra a visita de uma sobrevivente do Holocausto ao campo de concentração que vitimou o seu irmão, em tempo do aniversário do começo dos Julgamentos de Nuremberg. A situação só é possível porque a mulher, Colette Marin-Catherine, conhece uma jovem estudante que a convence a retornar à Alemanha depois de 74 anos longe do país.

Você pode conferir o curta na íntegra pelo Youtube.

“A Concerto Is a Conversation”

Além de “Colette”, outro documentário produzido por um grande veículo de mídia é este filme de 13 minutos do New York Times sobre Kris Bowers, músico negro que ganhou maior visibilidade nos últimos tempos por compor a trilha sonora do polêmico “Green Book”. “A Concerto Is a Conversation” é a premissa mais convencional possível, documentando a partir de uma longa entrevista a vida do artista e toda a sua luta contra a discriminação no meio para realizar o seu sonho de se tornar um pianista de jazz.

Você pode conferir o curta na íntegra pelo Youtube.

“Uma Canção Para Latasha”

Para a surpresa de muita gente, o curta documental da Netflix indicado à categoria este ano não trata do tema da medicina! Estreia da cinegrafista Sophia Nahli Allison na direção, “Uma Canção Para Latasha” retorna ao tema dos intensos protestos raciais de Los Angeles em 1992 para focar num dos grandes motivos para o estopim da briga da população contra a discriminação empreendida pela polícia: Latasha Harlins, uma jovem negra de 15 anos de idade que foi assassinada a tiros em 16 de março de 1991.

Além dos curtas, também já indicamos onde você pode assistir aos longas-metragem indicados ao Oscar 2021.

Postagens Relacionadas