close button

PUBLICIDADE

A Semana da Minha Vida

Como uma pessoa que cresceu em ambiente cristão confesso que assisti a este filme com um receio enorne. São poucos os filmes com temas religiosos do qual eu realmente abraço com carisma. No entanto, devo confessar que A Semana da Minha Vida, é só mais um filme clichê adolescente, talvez um pouco mais modesto que grande parte deste gênero, com alguns musicais que incluem falar de Deus, e citações à biblía.

Não há nada realmente sorrateiro sobre o cristianismo em si, – como Deus ama a todos e é bom ser gentil com as pessoas -, mas as repentinas menções de Deus, a Bíblia e a salvação são introduzidas pela primeira vez com uma natureza piscante que sugere um recurso mais divertido e fresco por baixo. No entanto, mesmo com “A Week Away” mostrando sua alma implacavelmente otimista e cafona, é difícil não gostar.

Antes de Deus e suas melodias cativantes, no entanto, está o jovem Will Hawkins (Kevin Quinn), um adolescente órfão que pedalou por cidades, escolas e famílias adotivas desde a trágica morte de seus pais, Will está prestes a ser jogado em um centro de detenção juvenil depois de roubar um carro de polícia (ele apenas “pegou emprestado !). A salvação chega na forma da alegre Kristin (Sherri Shepherd) e seu filho idiota, mas doce, George (um encantador Jahbril Cook em sua estreia no cinema), que se oferecem para levar Will para uma sessão em seu amado acampamento de verão.

A resistência de Will é compreensível – o órfão que rouba carros de policial realmente não parece o tipo de acampamento de verão – mas ele não tem outra escolha. É acampamento ou reformatório. Ele pode ser um garoto durão, mas não é estúpido. É preocupante, porém, a rapidez com que Kristin começa a cantar sobre Deus, o que é ainda pior pela rapidez com que todas as outras crianças no ônibus do acampamento de verão também o fazem. Na terceira música vagamente de Jesus, Will finalmente entende. Ele está indo para um acampamento cristão de verão. Ups!

Sua atenção está logo em outro lugar, já que ao pousar no acampamento, a alegre Avery (Bailee Madison) atrai sua atenção, enquanto o bajulador e superdimensionado Sean (Iain Tucker) agrada seu lado competitivo. O que são alguns dias com o God Squad? (E, talvez mais sério: o que são alguns dias com algumas pessoas genuinamente legais que não parecem desconfiar do estranho tatuado em seu meio?) Enquanto a história de “A Week Away” é previsível para qualquer um que já assisti a qualquer tipo de comédia romântica Yong Adult – a trajetória de Sean em particular parece pré-ordenada por uma dúzia de outros filmes – este parece totalmente à vontade com seus tropos, animando-os com uma grande variedade de sequências musicais para manter as coisas divertidas e chamativas.

Roman White, diretor de videoclipes que gravou vídeos para estrelas como Taylor Swift, Justin Bieber e Carrie Underwood, dirigiu anteriormente o musical VOD de tema semelhante “Summer Forever” em 2015. Não há dúvida de que White conhece bem uma música animada- e a sequência de dança e a alegria contagiante até mesmo da mais confusa das canções (o filme vibra entre hinos pop originais vigorosos e misturas incrivelmente sérias de melodias cristãs estabelecidas com abandono absoluto) fará com que até mesmo os descrentes levantem os punhos no ar. 

E embora a tendência cristã do filme seja mais óbvia em suas canções, outros elementos apontam para seus objetivos literalmente modestos. Uma sequência ambientada no lago do acampamento está repleta de adolescentes ensolarados e sorridentes, mas logo fica claro que não há um biquíni no grupo, nem mesmo um tórax ou perna nua: cada campista está totalmente vestidos com camisetas e shorts (até mesmo os meninos) e todas as meninas também usam shorts por cima dos biquines. É modesto, saudável e bem diferente do que estamos acostumados a ver no geral.

Graças a algumas canções animadas e performances surpreendentemente sólidas (Madison, uma ex-estrela infantil, adiciona um peso real a algumas das cenas mais formuladas do filme; Cook é muito engraçado como o melhor amigo peculiar) significa que “A Semada da Minha Vida” é bom o suficiente qualquer um com uma lacuna do tamanho de “High School Musical” em seu consumo de entretenimento. Seus fundamentos religiosos discretos – na verdade, ninguém puxa uma Bíblia durante todo o filme – provavelmente não irritará o cenário secular, mesmo que as crianças cristãs fiquem felizes em ver sua visão de mundo refletida por meio de um moderado para agradar ao público . É exagerado, é previsível, é um pouco bobo, mas o que YA musical não é?

A Semana da Minha Vida

A Semana da Minha Vida
3 5 0 1
No longa acompanhamos a vida de Will Hawkins, um adolescente rebelde. Depois de mais um confronto com os tribunais, ele tem duas opções: ir para a detenção juvenil ou participar de um acampamento cristão de verão. Ele escolhe a segunda opção. Durante o verão, Will começa a mudar seu comportamento, descobrindo, no processo, o que é o amor.
No longa acompanhamos a vida de Will Hawkins, um adolescente rebelde. Depois de mais um confronto com os tribunais, ele tem duas opções: ir para a detenção juvenil ou participar de um acampamento cristão de verão. Ele escolhe a segunda opção. Durante o verão, Will começa a mudar seu comportamento, descobrindo, no processo, o que é o amor.
3/5
Total Score
Postagens Relacionadas