close button

publicidade

Tribes of Europa

Já podemos considerar uma história de um mundo pós-apocalíptico quase como um subgênero da ficção científica. Já vimos inúmeras representações de como criadores de histórias grandiosas pensam em como o mundo vai acabar e como a sociedade vai agir para manter a humanidade viva. E não é apenas em produções cinematográficas ou seriadas. Livros e jogos, na maior parte das vezes, são a fonte primária para essas histórias. Desta vez é a vez da Alemanha nos contar – mais uma vez – uma versão da sociedade pós-apocalítica na nova série Tribes of Europa.

Em 2029 o mundo estava numa eminente Terceira Guerra Mundial entre os EUA e a Coreia do Norte, quando de repente, num dia de dezembro, toda a tecnologia do mundo desligou, conhecida como Dezembro Sombrio. Nações caíram com a “morte” da tecnologia, e as pessoas se reorganizaram em tribos. Anos depois do Dezembro Sombrio, três irmãos da tribo dos Orígenes presenciam a queda de uma aeronave moderna, onde o irmão mais novo Elja (David Ali Rashed) encontra nos destroços um cubo misterioso, e tentando escondê-lo, ele encontra o piloto da nave gravemente ferido. Com a ajuda de seus irmãos, Liv (Henriette Confurius) e Kiano (Emilio Sakraya) ele o ajudam, mas acabam levando até eles membros da tribo dos Corvos, assassinos que desejam controlar todas as tribos da Europa.

Tribes of Europa tem mesma produção que assinou Dark, a primeira série alemã da Netflix que teve um dos maiores engajamentos da plataforma, e até hoje é tida como uma das melhoras histórias de viagem do tempo. Diferente de sua prima famosa, Tribes of Europa é mais despretensiosa em questão de ser uma história grandiosa. Diferente de Dark, a série não precisa de grandes explicações para compreensão da trama, mas toda a explicação do que aconteceu e do que está acontecendo vai sendo tomada ao longo dos episódios. A construção do mundo pós-apocalíptico vai adicionando detalhes cena a cena do que pode ter acontecido ao mundo, e os detalhes em cenário ajudam ao telespectador construir sua própria interpretação dos fatos.

Além disso, o desenvolvimento da trama se divide em três partes que ajudam a levar a história – que não é tão complexa – a maior compreensão do que estamos vendo, adicionando mais camadas para a organização das sociedades tribais que vemos. Vemos a história pelo olhar dos três irmão: da Liv vemos a parte militar que tenta unificar a Europa nos arranjos antes da catástrofe; de Kiano vemos os antagonistas, os Corvos, e como essa tribo se tornou tão numerosa e perigosa baseado em sua construção social e doutrinas; já quando vemos Elja temos um lado mais neutro a guerra tribal que se estende por toda a série, vemos um perigo iminente, maior que a guerra tribal.

Neste ponto, Tribes of Europa se assemelha com a discussão de Game of Thrones: tomava-se muito tempo discutindo sobre quem seria àquele que sentaria em fim no Trono de Ferro, a história majoritariamente se desenvolvia nas estratégias de cada um dos possíveis reis, mas a real batalha era pela vida. Em Tribes vemos grande parte da história se desenvolver e se focar nos núcleos de Liv e Kiano, os dois lados opostos dessa sociedade, mas que o real foco deveria ser do núcleo de Elja, que está descobrindo mais sobre os Atlantianos, a origem do Dezembro Sombrio e da nova ameaça que está chegando vindo do oriente.

Em seis episódios, ainda dividido em três núcleos, a série tem seus altos e baixos: existe momentos de grandes revelações e cenas que mostram todo o potencial da história, ao mesmo tempo que tem momentos que você se perde e foca sua atenção no horizonte, e isso vindo dos três núcleos. A série ainda surpreende com o mundo distópico criado, que lembra de leve o mundo criado para o vencedor do Game of The Year, The Last of Us – Part II, com as construções modernas abandonadas tomadas pela natureza.

Tribes of Europa consegue fugir completamente da comparação iminente que teria com Dark, mesmo que as distopias se assemelham em partes. A série despretensiosa introduz bem o mundo que quer desenvolver, cria personagens que conseguimos nos conectar, e entrega um mundo interessante sobre como a sociedade se reorganizaria após uma catástrofe tecnológica.

Tribes of Europa

Tribes of Europa (1ª Temporada)
4 5 0 1
Em 2074, após um apagão da tecnologia, a humanidade regrediu sua sociedade moderna a tribos, onde algumas tentam conquistar território e outras tribos para aumentar seus domínios. Três irmãos de uma tribo pacífica, os Orígines, acabam presenciando a queda de uma aeronave tecnologicamente avançada, e que desperta o interesse de uma tribo assassina, que acaba separando eles. Agora, eles precisam sobreviver ao mundo, criar alianças, e desvendar os mistérios que cercam o motivo do apagão da tecnologia, uma iminente guerra pelo poder e uma ameaça além da imaginação.
Sem pretensão de ser algo grandioso, Tribes of Europa sabe trabalhar diferentes perspectivas em um mundo inspirados em outras obras sobre mundos pós-apocalípticos, e dosa política tribal, milícias e golpes de estado, e elementos sobrenaturais, com uma alusão sobre união versus separação.
4/5
Total Score
Postagens Relacionadas