publicidade

O Conto dos Contos

Depois de me encantar exponecialmente pelo trabalho de Matteo Garrone em Pinóquio, tive o prazer de assistir mais uma obra maravilhosa do diretor em O Conto dos Contos. Exuberante em seus planos, com fotogafia excepcional, figurinos exóticos o filme é uma obra digna dos contos de fadas. Livremente inspirado na célebre obra de Giambattista Basile, O Conto dos Contos preza pela exuberância visual, já que nele até mesmo as criaturas mais inanimadas reforçam, por contraposição, a beleza circundante.

O primeiro filme em inglês do diretor italiano Matteo Garrone, é, como o próprio título sugere um apanhado de histórias que se entrelaçam através de alguns poucos elementos. Não se iludam, porém, acreditando que o fato do título se valer da fantasia que quer dizer que ele é feito para um público mais jovem. Muito pelo contrário, temos aqui algo muito similar aos contos de Grimm, nos quais a lição apresentada sempre vem acompanhada com sangue. Este é um conto de fadas para adultos.

Os contos

O Conto dos Contos se desenrola através de três histórias. A primeira é sobre um rei (John C. Reilly) e uma rainha (Salma Hayek) que sentem-se frustados por não ter filhos. Em seu apelo conhecem um mago que lhes oferece uma solução. Mas para quem já tem diploma em Once Upon a Time, já sabe a lição mais valiosa que Rumpelstiltskin nos ensina: A Magia sempre vem com um preço.

A segunda história é sobre outro rei (Vincent Cassel), promíscuo, vaidoso e arrogante que se apaixona pela voz de uma mulher, depois que a ouve cantar, mal sabendo que na verdade ela não a jovem que ele imagina, mas im uma velha mulher.

Então, em um terceiro reino, outro rei (Toby Jones), que descobre que seu sangue alimentando uma pulga a faz crescer de forma inexplicável. Aqui também temos o desenrolar da história de sua filha, Violet (Bebe Cave), que acima de tudo deseja se casar, mas por uma má escolha de seu pai, acaba por sofre com isso.

Unidos somente pelo fato de que são reinos vizinhos esses três contos apresentam, cada um, sua própria estrutura narrativa, contando com um clímax para cada. A escolha destes três contos é excelente já que o público não tem familiaridade com eles.

Uma história rica, muito além somente da estética

O Conto dos Contos de Matteo Garrone

O roteiro de O Conto dos Contos, atrai e nos expões a uma série de emoções e quase não há tempo para respirar. O papel adulto assumido desde o início da história nos faz sentir que não existe um final completamente feliz. Sabemos que haverá sacrifícios, fato anunciado por uma figura misteriosa que aparece na primeira cena.

Em cada aventura, há um tom provocativo nos personagens, os atores com suas particularidades, desempenham um papel importante na construção desse universo. Mesmo Salma Hayek que é a única atriz latina, e que destoa um pouco dos demais atores, ainda consegue entregar um excelente trabalho. Vale lembrar que esta é uma fantasia europeia, e talvez por isso, Salma fique um pouco destoante dos demais.

O Conto dos Contos não é constituído de fábulas inocentes. Mesmo ambicionando constantemente a beleza, não se nega de expor o lado feio dessa terra habitada por aristocratas, plebeus, bufões, magos, monstros e toda sorte de criaturas que reagem umas às outras.

Ritmo e falhas (?)

Por trata-se de uma produção europeia, o ritmo aqui é diferente. Há muitas certezas de que se fosse um filme americano seria mais intenso em sua narrativa, no entanto Garrone aqui não mostra pressa em fazer o espectador apreciar a cena e toda a exuberante beleza presente nela. No entanto, diferente de Pinóquio, aqui não há a possibilidade do tédio. O roteiro possui uma história (ou histórias) tão envolvente que é impossível desviar a atenção.

A única falha deste filme talvez seja a edição. A forma como a história se intercala pode confundir um pouco o público. E a passagem do tempo nem sempre é muito clara, então podemos pensar que todas as histórias se passam ao mesmo tempo. Quando na verdade correm em períodos próximos, mas não ao mesmo tempo.

No entanto, nem mesmo essa falha consegue suprimir a elegância de O Conto dos Contos. Para uma estreia, Matteo Garrone se saiu incrívelmente bem. Já pode nos apresentar mais obras como esta.

O filme está disponível no Globoplay.

O Conto dos Contos

O Conto dos Contos
5 5 0 1
No reino de Longtrellis, o rei e a rainha estão frustrados porque não podem ter filhos. Para solucionar esse problema, eles procuram um mago, que lhes entrega uma receita muito peculiar e lhes dá um aviso medonho. Em outro reino, o rei está obcecado por uma mulher que viu na janela, mas não sabe que ela é idosa. E, em um terceiro reino, o monarca descobre uma mosca que, alimentada com seu sangue, não para mais de crescer.
No reino de Longtrellis, o rei e a rainha estão frustrados porque não podem ter filhos. Para solucionar esse problema, eles procuram um mago, que lhes entrega uma receita muito peculiar e lhes dá um aviso medonho. Em outro reino, o rei está obcecado por uma mulher que viu na janela, mas não sabe que ela é idosa. E, em um terceiro reino, o monarca descobre uma mosca que, alimentada com seu sangue, não para mais de crescer.
5/5
Total Score


publicidade
Postagens Relacionadas
Leia Mais

Reality Z ganha trailer

A Netflix divulgou o trailer da nova série original brasileira Reality Z, com Sabrina Sato. Confira trailer acima.…
FecharX