publicidade

Sapatinho Vermelho e os Sete Anões

O padrão de beleza que é imposto pela sociedade está longe da realidade que nós vivemos. Além disso, sabemos também o quão difícil é quebrar paradigmas de beleza, mesmo que hoje estejamos caminhando para tentar desfazer essa magia de que ser magra é sinal de beleza. Sapatinho Vermelho e os Sete Anões conta um pouco sobre isso.

Uma Branca de Neve Diferente

Uma releitura do conto que já tanto conhecemos de Branca de Neve, o tema principal de Sapatinho Vermelho e os Sete Anões é a beleza, mas não beleza estética, e sim de caráter. Snow é a Red Shoes (Sapato vermelho, em tradução), dublada pela Chloë Grace Moretz. A princesa está a procura de seu pai que sumiu misteriosamente depois que se casou com Regina (Gina Gershon), uma bruxa má.

Após conseguir um par de sapatos mágicos ela parte em busca de seu amado pai, e para isso ela vai contar com a ajuda de sete pequenos, verdes e gordinhos ogros, que na verdade são príncipes que foram amaldiçoados, bem em um estillo A Bela e a Fera. Pois é, quem diria não é mesmo?

Eis então que conhecemos Merlin (Sam Claflin), Arthur (Simon Kassianides), Jack (Frederik Hamel), Hans (Nolan North), Pino, Noki e Kio (Frank Todaro) os príncipes conhecidos por toda Terra dos Contos de Fadas como “Os Sete Destemidos”. Os jovens acabaram por ser amaldiçoados depois de derrotarem um dragão que na verdade eram uma princesa, que não era só uma princesa, mas também uma fada. Ah e então vem a melhor parte.

Pois que a fada/princesa não se encaixava no que eles – os príncipes, e principalmente, Merlin – deveria ser: Bela. Por ser fora dos padrões (a princesa era verde), os rapazes acabaram por julga-la como bruxa e tentou mata-la. Essa não foi a escolha certa. A princesa-fada inconformada, e revoltada com a atitude deles, os amaldiçoou, os transformando em pequenos ogros verdes. Afirmou ainda que eles só voltariam a ser eles mesmo, quando ganhassem um beijo de amor verdadeiro, por aquela que veste o sapatinho vermelho.

Bem Bela e a Fera, né? Eu simplesmente amo quando eles fazem um super feat nos contos de fadas!

Ser quem você é, além do físico

Toda a aventura deles será sobre descobrir que existe muito mais além da beleza física.

Bem, e não é só os garotos que vão aprender essa lição. Snow, também é uma princesa fora dos padrões. Adora comer e é gordinha! Eu muito me identifiquei e sei que muitas meninas se identificarão também. Representatividade é tudo!

Mas Snow com os sapatos fica magra, esbelta e “bela” (entenda que coloco entre aspas, porque ser magra e beleza não são sinonimos). E os príncipes – ogrinhos – se encantam por ela, mas não por quem ela é de verdade, mas só pelo que veem através da magia.

E é nisso, em sua aventura, que Snow descobre que ser quem ela realmente é, mesmo que seja fora do que as pessoas acham que é certo e belo, é o que realmente importa. Ser verdadeiro, olhar através do que está por fora, e enxergar o que está dentro. É essa a verdadeira beleza.

Para mim é esse filme é simplesmente uma das melhores adaptações de conto de fadas animados que já tive o prazer de assistir. Finalmente o filme está contando sobre o que realmente importa, que a verdadeira beleza não é o que tem do lado de fora, mas sim o carater, a bondade, e o coração. É ali que reside o verdadeiro amor.

Sem falar que é representativo. Uma princesa gorda!

Representativo, mas nem tanto…

Mas aqui vale um detalhe importante que devemos resaltar, mesmo que Snow seja gorda, seu tempo de tela como ela mesma é muito pequeno, o que vale de tristeza. Entendo a importância que temos, ao ver algo que de diferencie, mas vale lembrar que uma verdadeira representavidade é quando você apresenta o personagem e ele é ele mesmo o filme todo.

Existe um padrão em filmes que contam como “representativo” que me incomoda muito. Veja, filmes como A Princesa e o Sapo, Irmão Urso, A Nova Onda do Imperador, da Disney, Soul da Pixar, Um espião Animal, da Blue Sky, todos são longas animados que apresentam personagens de outras etnias, mas que são desumanizados de alguma forma ao longo do filme. Certo que aqui o padrão é se tornarem animais, e em Sapatinho Vermelhos e os Sete Anões, Snow apenas fica magra.

Mas vocês conseguem ver, não é? Sempre que colocam um personagem que foge do branco caucasiano magro, eles dão um jeito de mudar essa caracteristica. E neste longa não foi diferente. Snow em 90% do filme é magra e “bela”. E eu amei o filme do jeito que ele é, mas também consigo pensar em versões onde Snow poderia continuar gorda por todo o filme.

Mas já podemos considerar um grande passo que ao menos tenham colocado na tela uma princesa que foge dos padrões de beleza impostos. Mas apesar disso, sempre precisamos nos lembrar que ainda falta muito para que fiquemos satisfeitos apenas com isso.

Por fim, Sapatinho Vermelho e os Sete Anões é um filme belo, que tem uma grande importância para as crianças de hoje, e que nos conta uma história linda sobre sermos que somos. É um marco, e é inesquecível.

Sapatinho Vermelho e os Sete Anões

Sapatinho Vermelho e os Sete Anões
5 5 0 1
Nesta releitura do famoso conto da Branca de Neve, o beijo da princesa de sapatos vermelhos é a única cura para os sete anões que, na verdade, são sete príncipes arrogantes. A disputa pelo beijo da princesa fará com que eles mudem suas visões de mundo e entendam o verdadeiro significado da beleza.
Nesta releitura do famoso conto da Branca de Neve, o beijo da princesa de sapatos vermelhos é a única cura para os sete anões que, na verdade, são sete príncipes arrogantes. A disputa pelo beijo da princesa fará com que eles mudem suas visões de mundo e entendam o verdadeiro significado da beleza.
5/5
Total Score


publicidade
Postagens Relacionadas
Leia Mais

Tenet

Quando se trata de Christopher Nolan, digo com tranquilidade que os únicos filmes dele que não assisti mais…
FecharX