close button

PUBLICIDADE

Especial Quentin Tarantino | Kill Bill: Volume 1

Quarto filme de Quentin Tarantino, Kill Bill: Volume 1, é inspirado no personagem “A Noiva”. A personagen foi criado por ele e Uma Thurma durante as gravações de Pulp Fiction.

Toda a história é sobre vingança da Noiva e sua jornada para matar seus antigos companheiros. A obra foi dividida em dois volumes, pois a história resulta de 4 horas de conteúdo.

No estilo Tarantino, mais uma vez temos seu conhecido modo não linear de apresentar a jornada da personagem. Além de ser exageradamente violento.

Kill Bill: Volume 1 é tão absurdamente irreal e seus defeitos e efeitos (ou a falta deles) estão tão claramente a vista que parei por um tempo para analisar o porque deste filme ser tão aclamado.

Efeitos e Defeitos

Quentin Tarantino é o maior cinéfilo entre os cinéfilos, e isso está em cada detalhe deste filme. Para os muitos amantes dos filmes dos anos 60, 70 e 80, verão muitas referências em Kill Bill: Volume 1.

Confesso que reconheci somente uma que se refere ao ator Sonny Chiba, que vive Hatori Hanzo, o lendário fabricante de espadas, que na década de 70, era um ícone dos filmes de luta orientais, ficando famoso, principalmente pela série Street Fighter.

Além disso, Tarantino consegue te levar a aceitar o irreal. Seu talento na direção e no roteiro te prende na história contada e te faz aceitar todo o absurdo apresentada nas cenas de ações.

Decaptações claramente falsa. Esguichos exagerados de sangue. Coreografias de lutas não tão bem executada. O evidente uso de suspensórios para auxiliar nos giros e saltos. Tudo isso seriam coisas que se fosse qualquer outro filme ou qualquer outra história, fariam deste um filme de classificação B, mas que aqui consegue funcionar bem.

A irrealidade de KIll Bill: Volume 1 é tão bem feita e tão escrachada que você aceita isso, e se prende na jornada de vingança da Noiva.

Narrativas e Diálogos em Kill Bill: Volume 1

Uma das maiores caracteristicas de Tarantino é o seu talento para criar grandes diálogos. Pulp Fiction e Cães de Aluguel são grandes exemplos disso.

Em Kill Bill: Volume 1 os diálogos não funciona muito bem. Há bons momentos, claro. Por exemplo, a conversa entre a Noiva e Hanzo, que tenta resgatar a dinâmica típica de Tarantino, entretanto não tem o mesmo efeito ou qualidade. Mas ainda sim, diverte a todos.

Embora a questão da não linearidade na narrativa, seja uma marca do diretor, aqui não afeta em absolutamente nada na história. Poderia ter apresentado o filme de forma linear que teria tido o mesmo resultado.

Todavia, algo surpreendente foi contar toda a origem de O-Ren Ishii através de uma sequência em anime. Inegavelmente um dos melhores momentos do filme. E seria impossível alcançar um efeito mais brutal utilizando atores de carne-e-osso, já que a expressividade da animação é perfeita.

Caricato e exagerado…

O filme é, principalmente, uma experiência sensorial, sem um significado profundo escondido. Tarantino concede privilégios estéticos e estipula os capítulos que contam a simples história de vingança da Noiva, que foi vitima de uma tentativa de assassinato por seus ex-colegas.

Portanto, aqui, vemos um cineasta mais uma vez saindo da zona de conforto, criando uma super-heroína invencível, que diferente de trabalhos anteriores, não estabelece freios além da sua prórpria imaginação aparentemente infinita.

Seja você um fanático por filmes, que listará todas as referências usadas por Tarantino, ou apenas uma “pessoa normal” que apenas gosta de cinema, é dificil imaginar que você não vai se prender e gostar de Kill Bill: Volume 1. O longa pode até ser cartunesco e exagerado, mas, com certeza, não é monotomo.

Kill Bill: Vol. 1

Kill Bill: Vol. 1
5 5 0 1
A ex-assassina conhecida apenas como "A Noiva" acorda de um coma de quatro anos decidida a se vingar de Bill, seu ex-amante e chefe, que tentou matá-la no dia do casamento. Ela está motivada a acertar as contas com cada uma das pessoas envolvidas com a perda da filha, da festa de casamento e dos quatro anos da sua vida.
A ex-assassina conhecida apenas como "A Noiva" acorda de um coma de quatro anos decidida a se vingar de Bill, seu ex-amante e chefe, que tentou matá-la no dia do casamento. Ela está motivada a acertar as contas com cada uma das pessoas envolvidas com a perda da filha, da festa de casamento e dos quatro anos da sua vida.
5/5
Total Score
Postagens Relacionadas
Leia Mais

A Música da Minha Vida

Com uma pegada animada e também de conscientização, o filme A Música da Minha Vida nos ganha de…