No segundo capítulo na nossa série “As Eras da Disney” seguimos ainda na Era de Ouro e desta vez vamos falar sobre Pinóquio.

Se você não faz ideia do que está acontecendo, nós começamos uma série sobre a Walt Disney Animation, onde vamos falar sobre os filmes da companhia. O primeiro foi sobre Branca de Neve e os Sete Anões, que você pode conferir aqui.

Pinóquio, que foi o segundo filme animado do estúdio, que estreiou nos cinemas em 1940, três anos após o sucesso estrondoso de Branca de Neve. Baseado no livro do escritor italiano Carlo Collodi, Le avventure di Pinocchio (As Aventuras de Pinocchio) o filme conta a história de um velho carpinteiro italiano chamado Geppetto que faz um boneco de madeira chamado Pinóquio, o qual é trazido à vida pela Fada Azul; a fada diz ao boneco que ele pode se tornar um menino de verdade se ele demonstrar obediência, bravura e lealdade a Geppetto. Os esforços de Pinóquio para se tornar um garoto de verdade, entretanto, envolvem encontros com uma série de personagens mal intencionados, que tentam de tudo para levar vantagem usando a inocente criatura, como vendê-lo para um dono de um show de marionetes e depois para um malvado cocheiro que sequestra crianças. Pinóquio, durante toda a história, conta com a ajuda do Grilo Falante, que foi empregado como mentor do boneco pela fada.

Produzido pela Buena Vista Distribution e foi originalmente lançado nos cinemas pela RKO Radio Pictures em 7 de fevereiro de 1940, e no dia 26 de Fevereiro de 1940 no Brasil. O filme foi relançado nos cinemas em 1945, 1954, 1962, 1971, 1978, 1984 e 1992. Embora “Branca de Neve e os Sete Anões” seja geralmente considerado a contribuição mais importante da Disney para a indústria cinematográfica, Pinóquio é considerado sua maior conquista e um representante dos estúdios Disney no auge de sua idade de ouro. Embora Pinóquio seja um dos filmes mais aclamados de todas as obras de animação da Disney e seja considerado um dos melhores filmes de animação de todos os tempos, devido à sua atmosfera sombria e algumas cenas tensas e assustadoras, Pinóquio nunca teve sucesso nos negócios. A Disney recuperou apenas metade de seu orçamento de $ 2,6 milhões em 1950, quando foi lançado pela primeira vez.

Pinóquio foi uma conquista inovadora na área de efeitos de animação para a época, dando movimento realista a veículos, máquinas e elementos naturais, como chuva, raios, fumaça, sombras e água.

A música “When You Wish upon a Star” foi um grande sucesso e ainda é reconhecida no cinema, e mais tarde tornou-se a abertura oficial dos filmes da Disney Studios. Sim, sabe aquela musica que toca quando aparece o castelo da Disney? Sim, é a musica deste filme! Pinóquio também ganhou o Oscar de melhor canção original e o Oscar de melhor trilha sonora de filme original. O filme foi considerado “culturalmente significativo” pela Biblioteca do Congresso e foi selecionado para ser preservado no National Film Registry em 1994, ficando em segundo lugar nos dez primeiros filmes de animação (depois de Branca de Neve e os Sete Anões) Serviu na American Film Academy em 2008.

Acervo: D23 Archives – Walt Disney com os dois troféis ganhos pela indicação de Pinóquio nas categorias de Melhor Canção Original e Melhor Trilha Sonora

Devido ao grande sucesso de “Branca de Neve e Sete Anões“, Walt Disney esperava dispor de vozes mais famosas para Pinóquio, o que marca a primeira vez que um filme de animação usa celebridades como dubladores. Ele escalou o popular cantor Cliff Edwards de Talking Cricket. Disney também rejeitou a ideia de um adulto dublando Pinóquio, e insistiu que uma criança de verdade fizesse o papel; o escolhido foi então ator infantil Dickie Jones, de 11 anos que havia atuado anteriormente no sucesso Mr. Smith Goes to Washington do diretor Frank Capra. Foi escalado também Frankie Darro como Espoleta, Walter Catlett como João Honesto, Evelyn Venable como a Fada Azul, Charles Judels como o vilão Stromboli e o Cocheiro, e Christian Rub como Geppetto, cujo desenho era considerado uma caricatura do próprio Rub.

Depois que Pinóquio se tornou público em 1940, não teve sucesso financeiro. Para muitas pessoas, este é considerado um filme muito obscuro. Apesar dos elementos sombrios em “Branca de Neve e os Sete Anões“, essas forças do mal foram derrotadas no clímax do filme. Em contraste, os quatro vilões de Pinóquio (Joo Honesto, Gidio, Cocheiro e Stromboli) continuam agindo impunemente. Algumas pessoas acreditam que o uso de vários vilões no filme representa a complexidade da Grande Depressão (após a Segunda Guerra Mundial, a maioria dos filmes da Disney era caracterizada por um vilão). Acredita-se também que o tema dark do filme seja fruto de fontes europeias do filme, principalmente da história original de Collodi (mas a Disney tentou reduzir a escuridão de sua adaptação) e do filme alemão, que foi fortemente influenciado pelo expressionismo. Cenas fortes, como Stromboli aprisionando Pinóquio, a transformação de Espoleta e a cena de Monstró, são consideradas particularmente assustadoras para o público jovem (pode falar, você em algum momento com certeza se assustou com essas cenas).

Talvez o fato mais importante seja que a Segunda Guerra Mundial cortou o mercado europeu da Disney e impediu Pinóquio (e Fantasia naquele mesmo ano) de ser lançado na Europa. Especula-se que esta parte do público teria aceitado este filme mais do que os americanos, porque ele tem uma forte influência no continente.

No entato mesmo com todas essas dificuldades na época, o filme hoje é uma das melhores animações de todos os tempos. No site oficial de críticas Rotten Tomatoes, o filme possui 100% de aprovação, significando que cada uma das 49 resenhas sobre o filme, desde críticas contemporâneas até reavaliações modernas, são positivas, obtendo uma classificação média de 9,08/10; o consenso geral do filme no site diz: “Ambicioso, aventureiro e, às vezes, assustador, Pinóquio representa indiscutivelmente o auge das obras coletadas da Disney – é lindamente trabalhado e emocionalmente ressonante”. No MetacriticPinóquio tem a pontuação de 99/100 com base em 17 críticas, indicando “aclamação universal”.

O filme também é considerado o longa mais brilhante tecnicamente na categoria Clássicos Disney.

Em 2002 foi lançado uma versão do filme pelo diretor Roberto Benigni e mais recente, mas sob a direção de Matteo Garrone, eles lançaram uma nova versão em live-action do filme em uma versão mais sombria;

O longa também conta com uma outra versão do filme produzido pela CinéGroupe e dirigido pelo Daniel Robichaud, de 2004 chamado Pinóquio 3000;

Guilherme Del Toro também tem trabalhado em sua prórpia versão do filme para a Netflix, mas ainda não sabemos a data de estreia.

E como todos sabem a Disney está em planejamento para que haja adaptações em live-action para seus filmes animados, e Pinóquio também está entre eles. Segundo o site Adorocinema, há um previsão de que o filme estreie em 2022, mas não se tem certeza de nada, e é possível que Tom Hanks esteja no elenco. Mas enquanto aguardamos mais informações, você pode curtir essa e outras animações no Disney+ que finalmente desembarcou aqui no Brasil.

Postagens Relacionadas
Leia Mais

Adoráveis Mulheres

Já é difícil ser uma mulher nos dias de hoje, com os inúmeros casos de assédio, feminicídio, machismo…
FecharX