A Era de Ouro da Disney | Branca de Neve e os Sete Anões

Olá, você leitor. Hoje a Geek House começa um novo projeto, onde vamos falar sobre as “Eras da Disney“. Neste especial, vou trazer a história e curiosidades dos filmes do estudio, e no primeiro capítulo vamos falar sobre o pioneiro: Branca de Neve e os Sete Anões.

Mas antes, vamos apensas relembrar como são divididas essas “Eras”. De uma forma bem simplista, o termo “era” históricamente é uma divisão feita dentro de um determinado período, que o difere de outro. Geralmente o que classifica uma era é a semelhanças do conjunto de acontecimentos, obras e adventos culturais.

A Companhia em sí nunca fez essa divisão, mas grandes estudiosos do cinema e fãs que trouxeram esse termo ao longo dos anos, para expecificar determinados estilos e classifica-los de uma forma mais linear.

Um último destaque é que a Walt Disney é composta por três grandes cannons: Walt Disney Animation, Pixar Animations Studios e DisneyToon Studios. O pilar principal é a Disney Animation, a Pixar é um estudio adquirido em 2006, e tem produções próprias como Os Incríveis, Toy Story e Valente. E a DisneyToon é responsavel pelas produções de orçamentos menores e lancamentos direto em homevideo. Aqui neste Especial trataremos somente dos filmes da Walt Disney Animation, logo filmes dos outros dois estúdios estarão de fora. Por enquanto.

A Era de Ouro: A primeira fase da Disney, é sobre os primódios, fase em que o estúdio estava se descobrindo e testando seus filmes, e qual a recepção do público mediante suas histórias. Ironico que seja chamado de Ouro, já que nesta época o estúdio passou por muitos altos e baixos financeiramente. Essa fase abrange os cinco primeiros filmes do estúdio: Branca de Neve, Pinóquio, Fantasia, Dumbo e Bambi.

O mais clássico dos clássicos da Disney, Branca de Neve foi a primeira longa-metragem de Walt Disney feito lá em 1937. Adaptado do conto de fada que foi publicado pelos irmãos Grimm, que na verdade foi transcrito de tradução oral, entre os anos de 1817 e 1822, intitulado “Kinder-und Hausmärchen” (“Contos de Fada para Crianças e Adultos“) na tradução livre. Há muitas versões desta mesma história, porém a mais conhecida é a versão do filme do estúdio.

O filme rendeu uma indicação ao Oscar de melhor banda sonora. Someday My Prince Will Come tornou-se um jazz standard, sendo regravada por numerosos artistas como Buddy Rich, Lee WileyOscar Peterson, Frank Churchill, e Oliver Jones. Foi título dos álbuns de Miles DavisWynton Kelly e Alexis Cole. E sabe aquela estatueta e as sete miniaturas tão famosas? Não foi por indicação a nenhuma categoria da Premiação, e sim um prêmio honorario por “uma inovação significativa na tela que tem encantado milhões e foi pioneiro de um novo grande campo do entretenimento“.

Acervo: Academia Internacional de Cinema

O desenvolvimento de Branca de Neve e os Sete Anões começou no início de 1934. Em junho daquele ano a Disney anunciou ao “The New York Times” a produção de seu primeiro longa, a ser lançado pela Disney Productions. Antes o estúdio tinha produzido principalmente curtas-metragens de animação das séries Mickey Mouse e Silly Symphonies. A empresa tinha esperança de expandir o prestígio e as receitas do seu estúdio, e estimou que Branca de Neve e os Sete Anões poderia ser produzido com um orçamento de 250 mil dólares.

Branca de Neve seria a primeira longa metragem animada da história, então Walt Disney precisou caprichar. Seu irmão e sua esposa chegram a tentar persuadir ele a desistir da ideia, mas por todas as sortes e persistências do mundo, ele não mudou de ideia. O filme custou o valor de 1.488.422,74 milhão, que foi alguns muitos milhares de dólares a mais que o estimado incialmente e ele chegou a hipotecar a casa para bancar o filme. Ainda bem que ele fez tudo isso. O filme foi um sucesso tão grande, que o filme foi relançado nos cinemas em 1944 primeiramente com o objetivo de aumentar o capital da Companhia em meio a Segunda Guerra Mundial. E esse negócio de relançar deu tão certo que ele foi relançado nos cinemas nos anos de 1952, 1958, 1967, 1975, 1983, 1987 e 1993.

Branca de Neve e os Sete Anões teve um arrecadamento total de US$ 418.200.000 milhões no seu lançamento original e relançamentos. Ajustado pela inflação e incorporando versões posteriores, o filme ainda está registrado como uma das dez maiores bilheterias de todos os tempos.

Ainda bem que Walt Disney não desistiu de fazer o filme.

A história da Branca de Neve é tão especial e teve um marco tão importante que muitas adaptações, seja em animação ou em live-action e ocorreram de lá para cá e também esteve na Broadway. Você pode conferir abaixo alguns bem conhecidos:

Floresta Negra (1997) dirigido por Michael Cohn e estrelado por Monica Keena;

Snow White (2001) dirigido por Caroline Thompson e estrelado por Kristin Kreuk;

Deu a Louca na Branca de Neve (2009) dirigido por Steven E. GordonBoyd Kirkland, com voz de Helen Niedwick;

Branca de Neve e o Caçador (2012) dirigido por Rupert Sanders e estrelado por Kristen Stwart e Chris Hemsworth;

Espelho, Espelho Meu (2012) dirigido por Tarsem Singh e estrelado por Lily Colins e Julia Roberts.

Mas é claro que isso não é tudo, com os remakes dos seus filmes animados e o grande sucesso que vem tendo, Branca de Neve não ficaria de fora. Em 2016 foi anunciado que haveria sim também uma versão em live-action da Disney para o filme. Ainda não se tem muitas informações e estava previsto para este ano inciar as filmagens, mas com tudo que vem acontecendo ainda não foi iniciado e não foi divulgado nenhuma nova nota. Mas estamos no aguardo.

O que sabemos é que Erin Cressida Wilson (A Garota No Trem) irá escrever o roteiro, enquanto Benj Pasek & Justin Paul (La La Land) serão os responsáveis pela composição de novas canções originais. Por sua vez, Marc Platt (Mary Poppins Returns) será o produtor. E que Marc Webb vinha sendo apontado como possível diretor do projeto.

Muitas e muitas coisas mudaram de 1937 para hoje, e esperamos que essas mudanças aconteçam no filme e que ele seja atualizado para combinar com os tempos atuais. E enquanto não sabemos mais novidades sobre o live-action, agora podemos curtir a animação original na plataforma do Disney+ que finalmente chegou ao Brasil.

Postagens Relacionadas