Desalma da Globoplay conta com design de som de Dark

A Globoplay divulgou uma entrevista com Alexander Wurz, sonoplasta alemão, responsável pela trilha sonora e mixagem de som de produções como Dark da Netflix, The Dark Valley e outros, e que foi consultor de sonoplastia da série original Desalma que chega este mês na plataforma, além de revelar detalhes da trilha sonora da série.

O convite para ser um consultor criativo para uma série dramática sobrenatural foi muito emocionante porque o desafio era priorizar cenas-chave da série. Analisamos como podíamos transpor e destacar cenas importantes e implementá-las em um design de som criativo

pontua Alexander Wurz sobre Desalma

A Globoplay aponta que o principal elemento para levar os telespectadores para a atmosfera sobrenatural de Brígida, cidade fictícia da série de imigrante ucranianos no sul brasileiro foram os sons e ruídos presente, que tiveram a consultoria do sonoplasta alemão.

Em nota a imprensa, a Globoplay pontua que o diretor artístico, Carlos Manga Jr. optou por uma trilha sonora que quebrasse a expectativa do público ao longo da narrativa. Que “[…] uma sonoridade que contrasta com a atmosfera do leste europeu” foi importante para a construção da história. Existe uma ruptura do paradigma vinda da inspiração de bandas ucraniana contemporâneas, que utilizam instrumentos tradicionais em novas usagens, como a banda DakhaBakha. Ainda há a presença de bandas como Sepultura, uma versão de Gravedigger, e outras.

Temos, por exemplo, a sonoridade do teclado que dá um tempero pop em cima de uma imagem que teoricamente você esperaria ouvir um violino. Assim, a gente pode usar o violino em momentos específicos com sua devida importância.

A trilha sonora sempre foi um pilar essencial para o gênero. Contudo, é um gênero que pode facilmente cair no óbvio, em clichês clássicos. A nossa primeira premissa foi estar o mais longe disso tudo. Quando o Manga me disse que queria música eletrônica e me trouxe um conceito todo elegante e moderno, eu amei.

explica Alexandre de Faria, Produtor Musical e responsável pela composição da música original da série

Além das bandas, a série conta com cánticos ucranianos, sendo um deles o Plyve Macha, entoado pela cantora e atriz da série Bela Leindecker, além de uma música russa cantada pa banda de rock Voskreseniye.

Desalma estreia no Globoplay em 22 de novembro. Confira abaixo a entrevista com o sonoplasta Alexander Wurz e o produtor musical Alexandre de Faria, cedida pela Globoplay:

Como foi o convite para ser Sound designer de Desalma?

Alexander Wurz: O convite para ser um consultor criativo para uma série dramática sobrenatural foi muito emocionante porque o desafio era priorizar cenas-chave da série. Analisamos como podíamos transpor e destacar cenas importantes e implementá-las em um design de som criativo. Isso é importante para um conteúdo de alta qualidade. Também foi interessante ver como a Globo está trabalhando com as séries deste gênero.

A trilha sonora é composta apenas por músicas ucranianas, ou temos canções de outras nacionalidades?

Alexandre de Farias: A nossa trilha comercial é composta por músicas de várias origens! Vamos desde músicas folclóricas ucranianas, passando por música russa (como a banda de Rock russa Voskreseniye), e americana.

O que você destacaria na trilha sonora de Desalma? Qual o maior diferencial?

AW: Para mim, foi a combinação de eventos realistas e surreais acontecendo na série. Projetamos alguns momentos abstratos e sons característicos, por exemplo, os flashbacks de Anatoli, para sublinhar a importância de várias cenas. A música é bem composta e posicionada – é por isso que foi mais fácil criar e implementar design de som para sequências dramatúrgicas importantes. Eu também gostaria de destacar a troca construtiva com o diretor Carlos Manga Jr. Ele sabe exatamente o que quer ouvir, o que também foi essencial.

Alguma música foi composta especialmente para o projeto?

AF: Sim. Temos uma linda versão gravada por Dan Torres da música Gravedigger, sucesso de Dave Matthews. Um fato curioso foi que enquanto estávamos procurando uma cantora ucraniana, acabamos descobrindo que a cantora (e atriz de Desalma!!) Bela Leindecker seria a pessoa absolutamente perfeita para gravar. E não poderia ter sido melhor. Foi tão bom e tão incrível para Desalma, que a Bela acabou gravando comigo duas faixas incríveis! Por fim, tivemos o incrível presente, e privilégio, de termos a banda Sepultura gravando uma versão de Tainted Love, especialmente para nós.

Related Posts