Por que a Cultura é sempre a “ponta fraca” da corda?

Enquanto estudava, durante o semestre onde nos dedicávamos somente a ‘Jornalismo Cultural’, minha professora soltou uma frase que ficou marcada. “A Cultura é sempre a primeira a ser dispensada, porque as pessoas acham que não é essencial.” No entanto, durante esse período de isolamento e distanciamento social, uma das coisas do qual as pessoas sempre diz sentir falta é exatamente o que não é considerada “essencial”. O aumento no consumo de cultura virtual aumentou expressivamente, principalmente pelo fácil acesso, já que grande parte dos acessos “normais” ainda é elitista.

Tá, mas o que é Cultura?

Cultura é: “todo aquele complexo que inclui o conhecimento, as crenças, a arte, a moral, a lei, os costumes e todos os outros hábitos e capacidades adquiridos pelo homem como membro da sociedade”. Ou seja, é toda forma de criação e tradição criada exclusivamente pelo Homem, que ao contrário dos demais animais, possuem racionalidade e consegue discernir o certo do errado, moral do amoral, ético do antiético, podendo ir até mesmo contra seus extintos.

A Cultura tem um papel fundamental na formação de caráter de uma sociedade e do indivíduo, e como parte das artes, ela pode ser auxílio para lidar com doenças que são de caráter comportamental ou psíquica, além é claro de ter um papel fundamental no entretenimento. Além de existirem várias outras definições de cultura, como termo geral, cultura significa a herança social e total da Humanidade. Ela passa a ser um forte agente de identificação pessoal e social, um modelo de comportamento que integra segmentos sociais e gerações.

Mas aqui quero focar em cultura como arte, logo, a arte é uma forma como o homem expressa os seus sentimentos, pensamentos e convicções. Além disso, pode ser entendida como o resultado de uma habilidade que resulta em uma obra com valor estético utilizada como expressão de alguma ideia ou sentimento. Na visão contemporânea, podem ser classificados como formas de arte: a escultura, a pintura, a fotografia, a música, o teatro, o cinema, a literatura, a dança etc.

Então por que existem aqueles que as caracterizam como “não essencial”?

O que te faz ter pensamentos mais críticos sobre as coisas? Estudar é a principal resposta para isso, certo? E estudamos através de que? Através da arte. Mas como, você deve estar se perguntando. Veja bem, lembra daquele livro que você leu, e nem estou falando de clássicos, ou aqueles exigidos pela faculdade, mas aquele de fantasia, romance ou de ficção cientifica, que te explicou sobre política, ou sobre física, matemática ou sobre psicologia ou comportamentos sociais? Pois então, um livro é um expressão artistica, que refletem a cultura e a forma como se davam as relações humanas em diferentes momentos históricos.

E aquela letra daquela MÚSICA? Você já deve ter ouvido uma canção e a letra dela ser uma verdadeira aula sobre um conceito que é diferente do seu.

Os filmes, séries e documentários são um dos maiores meios para adquirir conhecimento. Ele consegue abranger várias classes sociais, contextos e épocas diferentes na história. Isso porque nem mesmo detaquei o TEATRO, que é uma verdadeira mistura de tudo, e é uma das artes mais completas existentes, já que envolve todas as categorias artisticas, que vai desde a interpretação, dança e música, até figurinos e cenografia, e suas histórias contadas podem exemplificar de muitas maneiras a cultura e épocas diferentes, nos ensinando muito sobre muitas coisas, além de ser uma das artes mais recomendadas para desenvolver e estimular o comportamento social humano e capacidade psiquica.

Pinturas rupestres contam como os seres humanos viviam há milhares de anos; peças de artesanato do período da escravidão nos mostram a condição de vida dos negros aqui no Brasil; Tudo isso é informação. E quem tem a oportunidade de apreciá-la obtém conhecimentos que não seriam possíveis adquirir de outras formas.

Tudo que te falei, é muito mais que só entretenimento, a cultura é a porta, a chave, e até mesmo a janela, para um mundo PENSATIVO, um mundo de pessoas com critérios, pensamentos críticos, analíticos. E um mundo de pessoas assim assusta. Porque governantes que esperam manipular pessoas, não pode ter elas pensando por si próprios. E por governo, não estou me referindo a partidos políticos ou a ideologias políticas, mas a qualquer forma de poder hierárquico, onde existe um mandante e o mandado.

E quando um governo deturpa a ideia da importância da Cultura, ele tira das pessoas a oportunidade de pensar, de ser crítico. Por isso a cultura é sempre a ponta franca da corda, por que, se as pessoas entenderem que na verdade a Cultura deveria ser o lado mais forte, o mundo seria algo muito, muito diferente do que conhecemos hoje.

A cultura traz para a sociedade um conhecimento e uma riqueza sem igual. O acesso ao lazer, conhecimento, prazer, e diversos bens, tem grande pertinência. Quando bem trabalhada pode se tornar algo que faça parte da vida e do cotidiano do todo. Tornando rotineiro o acesso a novas tradições e ideologias. E isso proporciona novas perspectivas, que gera empatia, entendimento e aceitação de coisas que são diferentes de seu pré-conceito.

A solução cultural é a melhor arma de que dispomos para combater os graves problemas socioeconômicos de um país, pois a cultura interfere na autoestima de maneira surpreendente, atribuindo valor, identidade, disciplina e motivação para mudar. A cultura proporciona prazer em SER, FAZER e PERTENCER, sendo este o deleite sadio de viver e é um furor capaz de reverter muitos problemas, como os das drogas e criminalidade dentro de uma sociedade. Ela fortalece os aspectos e a identidade pessoal e social do indivíduo e condições de bem-estar.

A valorização cultural vai além da capacidade educativa e social, mas também por reforçar a identidade nacional e unir o povo por meio de suas diferenças. Afinal, a cultura é a nossa maior riqueza.

Related Posts
Leia Mais

O Escândalo

Ainda é pertinente discutir sobre assédio sexual corporativo. Parece que foi há séculos que as primeiras acusações de…