0

A Netflix junto com a Organização das Nações Unidas lançaram na última quarta-feira (4) uma coleção especial de séries entitulada Porque Ela Assistiu, documentários e filmes na Netflix para celebrar o Dia Internacional da mulher ué acontece amanhã, dia 8 de março. Veja o vídeo de anúncio narrado por Lana condor acima.

A coleção que estará disponível o ano inteiro, tema curadoria de estrelas femininas que atuam à frente e atrás das câmeras, como Sophia Loren, Janet Nick, Salma Hayek, Yalitza Aparicio, Millie Bobby Brown, Laurie Nunn, Lana Condor, Ava DuVernay, além das brasileiras Petra Costa, diretora do documentário indicado ao Oscar Democracia em Crise da Netflix, as atrizes Giovanna Ewbank, Pathy Dejesus, Bruna Mascarenhas, Juliana Vicente e Andrea Barata Ribeiro.

Essa colaboração tem por objetivo responder ao desafio de contar histórias sobre o universo feminino e apresentar as mulheres em toda sua diversidade. É sobre tornar o invisível visível e provar que apenas por meio da representação e da inclusão totais das mulheres nas telas, atrás das câmeras e em nossas narrativas, a sociedade vai de fato florescer.

Comenta a diretora-executica adjunta da ONU Mulher, Anita Bhatia

A coleção criada celebra as histórias que inspiram as mulheres que nos inspiram, seguindo o tema deste ano do Dia Internacional da Mulher que é Eu Sou a Geração Igualdade: Pelos Direitos das Mulheres. A coleção contém títulos como Inacreditável, Democracia em Vertigem, Coisa Mais Linda, Orange Is The New Black, Lionheart, Sex Education e outros.

Ter um mundo em que todos são de fato representados é o significado de uma democracia de verdade. E poder nos ver nos permite vislumbrar possibilidades infinitas, para nós e para os outros.

‘Orange is the New Black’ foi o primeiro projeto em que me senti genuinamente empoderada como mulher, graças à mulher no comando da série, Jenji Kohan, e as muitas mulheres na direção, no roteiro, na produção e na equipe, bem como às histórias que giravam ao redor de mulheres diversas de uma forma jamais vista. A série criou um espaço e uma plataforma para mim como mulher negra abertamente trans que abriu espaço para outras mulheres abertamente trans de todas as raças serem realmente vistas em nossa profunda humanidade

Comenta a atriz Laverne Cox

A coleção está disponível neste link: Porque Ela Assistiu, e cada título indicará qual artista indicou a produção para saber rapidamente qual história quer assistir. Para conferir a lista completa de produções e as artistas que a indicaram confira na próxima página.

A TV e o cinema têm o poder de refletir e moldar a cultura popular, e é por isso que acreditamos que seja tão importante que mais pessoas vejam sua vida refletida nas narrativas.

Nossas pesquisas mostram que inclusão atrás das câmeras leva a maior inclusão na tela. É causa para encorajamento que no ano passado 20% dos filmes originais da Netflix tenham sido dirigidos por mulheres e é empolgante celebrar essas criadoras no Dia Internacional da Mulher. Ainda há mais a fazer pela busca da igualdade, mas, ao reconhecermos talentos femininos no mundo todo, esperamos que mais mulheres se sintam encorajadas a contar suas histórias, elevando ainda mais este número.

Diz Stacy L. Smith, fundadora da Annenberg Inclusion Initiative, ligada à Universidade do Sul da Califórnia

A parceria da ONU com a Netflix, em apoio à campanha da Geração Igualdade ocorre no vigésimo quinto aniversário da declaração e plataforma de ação de Pequim, reconhecida como uma agenda visionária para os direitos da mulher.

0

Você Pode Gostar!