publicidade

Primeiras Impressões | O Mundo Sombrio de Sabrina (3ª Temporada)

Empoderada. Destemida. Dona de si própria. Existe vários adjetivos que podemos colocar em diversas personagens femininas das produções de hoje em dia, mas nenhum personagem encorporou tanto esses adjetivos quanto a Sabrina Spellman de Kiernan Shipka, a nova versão Dark da bruxinha que lançou um feitiço com seu engajamento pelo equilíbrio e por causas nobres. Em suas duas primeiras partes, ou duas primeiras temporadas – e até aqueles que, assim como eu, vêem uma temporada dividia em duas – Sabrina tem uma luta que perdura os dezenove episódios, mais o especial de Natal: sua luta para ser dona de si mesma, não precisar se curvar as desejos do Senhor das Trevas, enquanto viajamos entre a Sabrina mortal na primeira parte, e a Sabrina bruxa na segunda. A terceira parte tem a tarefa de evoluir esse foca da protagonista, mesmo com um caos iminente.

A Netflix disponibilizou os primeiros episódios da nova temporada de O Mundo Sombrio de Sabrina para o Geek Antenado, e uma coisa que a produção se destaca é ainda sua originalidade. Conhecemos muito a clássica Sabrina, vivida por Melissa Joan Hart, e depois de duas temporadas com Kiernan já conseguimos desvincular a colorida e alegre Sabrina de Melissa, e já estamos mais acostumados com a empoderada e endiabrada Sabrina de Kiernan, e sua originalidade vem da interpretação das histórias e suas referências.

O foco da temporada, o que é resolvido bem rápido, é salvar Nicholas Scratch (Gavin Leatherwood), que sacrificou seu corpo para aprisionar o Senhor das Trevas, e agora, preso no inferno, Sabrina e seus amigos vão até o domínio dos demônios para salva-lo. Mas como um bom drama jovem, a série insere nesta jornada inúmeros elementos de cada personagem, que enfrentaram até agora na suas jornadas pessoais, e brincam com um clássico conto de fadas, aos moldes sombrios da série.

Em seu primeiro episódio a série já resolve algumas questões deixadas em aberto na segunda parte, e já deixam o gancho de quem será o antagonista – ou antagonistas – além de trazer questões para mais um desenvolvimento de cada um dos personagens secundários. A nova parte explora três núcleos bem distintos, e independentes: o arco principal onde Sabrina vai até o inferno, com seus amigos Harvey (Ross Lynch), Roz (Jaz Sinclair) e Theo (Lachlan Watson); o arco das tias Zelda (Miranda Otto) e Hilda (Lucy Davis) para erguerem a igreja da Noite, agora tentando achar uma nova entidade para adorar; e a dupla Prudence (Tati Gabriella) e Ambrose (Chance Perdomo) em busca do Padre Blackwood (Richard Coyle) atrás de vingança. A nova temporada ainda insere novos personagens de forma bem leve, que tem potencial para a nova questão inserida no episódio, e que servirá de contraponto para Sabrina, e seus amigos também.

Após duas temporadas trazendo uma nova visão da bruxa adolescente, mais sombria, O Mundo Sombrio de Sabrina dá um passo de cada vez na jornada jovem de seus personagens, sem meter os pés pelas mãos, uma vez que seu universo está bem estabelecido, e agora as questões mais joviais e amplia em sua narrativa em seu primeiro episódio, possibilidades de não ser apenas uma história condicionada aos acontecimentos na Terra ou no Inferno.



publicidade
Postagens Relacionadas
FecharX