DestaqueReviewTech

Review | Huawei Y9 Prime

0

Com um design bonito, tela grande e uma câmera pop-up que ainda chama a atenção de quem está próximo, o Y9 Prime 2019 é um intermediário que cumpre seu papel de forma justa, mas sem entregar o melhor que um intermediário pode oferecer.

Design e Construção

O aparelho tem uma construção em plástico nas bordas e na traseira, mas não dá uma sensação de mal acabado, pelo contrário, às vezes eu me pego olhando para ele, admirando a beleza do aparelho.

Ele é robusto, tem um tamanho grande e sua frente é praticamente só tela, sem entalhe e sem muitas bordas, exceto um “queixo” pequeno que ajuda na pegada e usabilidade. Na lateral direita temos os botões de volume e o de energia, na lateral esquerda não temos absolutamente nada, o que me causou estranheza, afinal, esperava pelo menos a bandeja do chip por ali, mas ela fica na parte superior, ao lado da câmera pop-up, que salta para você tirar as suas selfies.

Há um detalhe que incomoda bastante, que é um desnivelamento da câmera em relação ao restante da borda do smartphone, que faz com que a câmera fique abaixo do nível do corpo do aparelho. Nesse ponto, a sensação de um acabamento ruim é enorme, pois o recorte da câmera é agudo e acumula sujeira.

Na parte inferior temos o alto falante e o conector USB-C. Além disso, uma grata surpresa, temos o conector para fones de ouvido P2. É cada vez mais raro vermos essa conexão nos aparelhos, até mesmo nos intermediários. Obrigado, Huawei.

Áudio e multimídia

Algo que você pensa no momento que vê o Y9 Prime é em assistir algum vídeo ou jogar alguma coisa pra usufruir dessa tela. De fato, a experiência com jogos e vídeos é excelente, exceto pelo áudio mono do aparelho. A grelha que temos acima da tela é somente para ligações, então a saída de áudio para mídias fica por conta do alto falante na parte inferior, e ele sofre um pouco com alguns tipos e sons como de uma conversa, sons agudos ficam bem estridentes, dando alguns chiados e com sons muito altos ele distorce.

Detalhe para o escutador telefônico e câmera Pop-up

O ideal é utilizar com o fone que vem na caixa ou com algum fone que você possua.

Tirando esse detalhe, a experiência para consumo de mídias, para jogos e textos é muito agradável. O aparelho é bom para segurar na mão, não pesa e não incomoda,as eu aconselho usar a capinha que vem an caixa, pois ele escorrega bastante, então o risco de queda é grande.

Como eu não vou conseguir incorporar o vídeo ao review (Me ajuda ai, produção), vou deixar o link aqui para vocês terem uma noção do desempenho em jogos e do áudio.

Processamento e memória

Chegamos em um ponto que a autoria estava esperando. “Roda PUBG? Roda Asphalt 9? Roda Free Fire? E CoD?”.

O processamento desse smartphone é próprio da Huawei, um Kirin 700f de 12nm, um octa-core com 4 núcleos de 2,2 GHz cortex A73 e 4 núcleos 1,7 GHz cortex A53. A GPU é a Mali-G51 MP4 e faz bonito nos jogos. Os detalhes misturados nos jogos, a ausência de engasgos que atrapalham a jogatina, tudo isso é muito bom para quem procura um smartphone barateza pra jogar, mas eu recomendo deixar os jogos sempre no médio para não correr o risco de travar naquela hora crucial do game. Alguns jogos não vão deixar você colocar tudo no ralo, como o PUBG, mas o nível de detalhes permitido já é muito bom. No Asphalt 9 eu estou jogando no máximo desde que instalei e não tive problemas de travamento, nem mesmo no modo multiplayer.

Algo que incomodou um pouco foi a perda de conexão no meio dos jogos, mas eu resolvi isso desativando a conexão inteligente, uma função que alterna entre Wi-Fi e dados móveis quando ele entende que uma das conexões está ruim. Nesse caso, melhor seria unir as duas conexões para garantir maior estabilidade, não fazer a troca entre uma e outra, pois nessa troca o smartphone acaba ficando um curto período de tempo offline. Então, fica a dica aí.

Ainda sobre memória

O Y9 Prime 2019 vem com 4 GB de RAM e 64GB de armazenamento interno, sendo possível expandir esse armazenamento via microSD, através de sua bandeira híbrida.

Os 4 GB de RAM dão conta do recado, mantendo vários aplicativos rodando em segundo plano, como jogos, redes sociais. Ele demora um pouco para abrir alguns aplicativos, mas eu acredito que isso seja culpa da memória utilizada para armazenamento, pois quando estão abertos, os apps trocam entre si com uma velocidade boa, sem engasgos.

Ainda temos uma outra versão de 4GB/128GB, que é a mais recomendada hoje, mas se você não quer gastar muito, essa versão de 64GB vai servir bem.

Bateria

Aqui está o ponto que mais me agradou nesse smartphone. Com 4.000 mAh, a bateria do Y9 Prime garante um uso intenso para o dia inteiro. Tirando ele da tomada as 14:00 horas, eu só fui carregar ele novamente, no outro dia depois das 15:00. Eu sempre coloco ele para carregar quando vou dormir pois ele vem com um carregador de apenas 5V 2A, ou 10w e o carregamento demora quase 4 horas para ir de 10% a 100%.

Ele dificilmente aquece, até mesmo quando utilizei um carregador de 25 watts, carregador que reduziu mais que a metade o tempo de carregamento dessa bateria.

Mesmo fazendo chamadas de vídeo, jogando uma hora por dia, ouvindo música e assistindo vários vídeos durante todo o dia, a bateria chega no fim do dia com algo entre 30% e 20% (isso em torno das 23 hrs).

Câmeras

Chegamos no ponto que eu fiquei decepcionado com o Y9 Prime. A Huawei faz boas câmeras em seus smartphones, mas não foi o caso aqui. A câmera traseira de 16 MP é boa em ambientes de bastante luminosidade, fazendo boas fotos para usar nas redes sociais. O problema é que, ao diminuir um pouco a luz, o smartphone apresenta bastante ruído na imagem ou, em outros casos, perde bastante detalhe da imagem.

Não para por aí, pois ainda temos uma câmera grande angular, que seria ótima se ela não fosse tão escura e não deixasse as imagens parecendo uma pintura, sem definição e sem detalhes.

Para vídeos, a lente de 16 MP grava em 1080p (60fps), mas não são o melhor que você encontra em intermediários. Já na lente grande angular, o vídeo se limita a 1080p a 30 fps. (Veja um exemplo neste link)

Na Câmera pop-up, temos 16 MP de resolução, com uma abertura de f/2 que produz boas fotos. Elas não são ótimas fotos, mas são boas fotos. Mesmo com embelezamento desligado, as vezes você tem uma sensação de que a foto ficou com um aspecto artificial, mas como eu disse, isso não acontece sempre. Apesar de ter a mesma resolução que a câmera principal e uma abertura teoricamente pior, as imagens feitas pela câmera de selfie me agradaram mais.

Recursos extras de Câmera

Aqui vem algo que me deixa extremamento intrigado. A Câmera vem com o destaque AI Camera, no entanto, quando o recurso está ativado, as imagens ficam borradas, pouca assertividade na captura de cores e um embelezamento que, na sua total maioria, não agradaram. O mesmo se aplica na câmera frontal.

Outro efeito que não agrada é o modo retrato. Na lente traseira principal o efeito fica bastante artificial, pegando quase sempre as orelhas, partes do cabelo e óculos, como se um círculo fosse colocado somente no rosto fotografado, mesmo tendo um sensor exclusivo para a medição da profundidade. O que é estranho, pois sempre que você cobre a lente de 2MP, aparece uma mensagem para não cobrir as lentes.

Entre os efeitos de desfoque, temos os modos palco, iluminação suave, iluminação borboleta, iluminação dividida e o tradicional. Nenhum deles faz o seu papel bem. Se você quer um smartphone para fotos mais próximas das profissionais, terá que investir mais.

Talvez não fosse preciso, mas vou mencionar que o efeito na câmera de selfie é pior ainda, por se tratar de um efeito por software.

Além desses dois modos citados, temos o modo noite, o modo abertura (esse é literalmente um borrão em volta de um círculo que pode ter sua intensidade alterada), e mais, que tem as opções mostradas na imagem logo abaixo.

Conclusão

O aparelho roda bem jogos, é bom para consumo de mídias, tem boa bateria que aguenta o dia inteiro, podendo chegar a um dia e meio sem problemas, mas peca nas câmeras. Apesar de ser um smartphone de plástico, ele não esquenta com tarefas pesadas e jogos e tem um acabamento muito bonito.

Aqui no Brasil, ele pode ser encontrado por volta do valor de R$1300,00 no site da Amazon para a versão de 128 GB.

O preço para importação está em média R$900,00 fora os impostos, o que torna vantajoso o valor na loja da Amazon, pois o produto já está no Brasil, com isso, você sabe exatamente o valor que será pago.

Claro que por esse preço você também pode achar outros concorrentes melhores, mas terá que avaliar o que será mais importante na hora de escolher seu smartphone novo. A câmera selfie do Redmi Note 7 é inferior, a Bateria do Moto One Macro e Action não possuem a mesma autonomia e assim por diante. Portanto, é sempre bom avaliar bem quais os prós e os contras antes de escolher o seu novo Smartphone.

Ficha Técnica – Huawei Y9 Prime

  • Tela: 6,59″ Full HD+ (1080X2340, 19,5:9) ~391 ppi, LCD IPS
  • Bateria: 4.000 mAh com suporte a carregamento rápido
  • Processamento: Hisilicon Kirin 710F (12 nm) Octa-core (4×2,2 GHZ Cortex-A73 e 4×1,7 GHz Cortex-A53) GPU Mali-G51 MP4
  • Memória: 64 ou 128 GB de armazenamento interno com expansão via Micro SD (bandeja hibrida) e 4 GB de RAM
  • Câmeras: Sensor principal de 16MP f/1.8; Sensor Ultrawide de 8MP f/2.4 e sensor de profundidade de 2MP f/2.4
  • Sistema Operacional: Android 9 com a EMUI 9.0.1
  • Conectividade:Wi-Fi a/b/g/n/ac, dual-band, Bluetooth 5.0, GPS com a-GPS e Glonass, Radio FM, jack P2 e USB-C 2.0
  • Biometria: Na parte traseira do Smartphone
  • Extras:Modo AI Câmera, Acelerômetro, Giroscópio, Sensor de Proximidade e Compasso.
  • Cores: Verde esmeralda, Azul safira e Preto safira
  • Preço e disponibilidade: ~R$1300,00 pelo e-comerce da Amazon e ~R$900,00 via importação no AliExpress.

Extra | O que vem na caixa?

Faltou somente a tomada na foto, mas ela vem na caixa, creia em mim. Inclusive, a tomada tem o padrão norte americano.
0