CríticaFilmes

Cópias: De Volta à Vida (Replicas)

0

E se você conhecesse um método de trazer de volta dos mortos entes queridos que já de foram? O quão certo é mexer com as leis naturais – e até divinas – quanto a ressurreição? Ou a clonagem? Essas perguntas não verbalizadas circunda a trama de Cópias: De Volta a Vida, que explora o quão longe um homem com conhecimentos científicos avançados e machucado por uma tragédia deseja ter sua família de volta, e o quanto ele vai para tê-los de volta.

Longa protagonizado por Keanu Reeves segue a história da família Foster, William (Reeves) é um cientista que pesquisa a digitalização de mentes humanas e implantações em cascas metálicas. Apesar de seus incessantes estudos e esforços, máquina e mente humana não se dão bem, sempre acarretando em falhaa. Mas após um trágico acidente com sua família, Will é o único sobrevivente, e encontra em sua pesquisa o único meio para ainda tê-los. Desesperado, ele decide fazer uma “backup” de sua família e pretende trazê-los de volta a vida.

Esse breve resumo soa muito com um episódio solto de Black Mirror, e não é a toa. Por mais que estejamos num presente conhecido, o fato da neurociência e genética estarem tão avançadas parece uma criação de Black Mirror, e esperamos um final amargo para os personagens. O longa não se prende a explicações fantasiosas exageradas para explicar a funcionalidade da mente humana, ou da geração de um clone, e a simplicidade é um fator presente por todo o longa, e torna a trama bem mais leve e acessível.

A principal questão que se fica subliminarmente é um assunto bem pertinente: a ética de criar vida sintética, e a exploração do avanço científico para aplicações bélico-militares – fato este que apenas se revela mais para o final do longa. Sem entrar em mais detalhes, o longa não se faz grandes questões morais, apenas focando no dilema do protagonista em ter sua família de volta, e uma vez que a tem – sim, ele consegue com a união da neurociência e clonagem – sua batalha é readptar sua nova família a rotina e mantê-los em segredo de quem apenas os vêem como experimentos e propriedade militar.

A este ponto o longa mais uma vez se questiona silenciosamente “o que te faz humano?”, seria suas experiências, sua alma, seus sentimentos. Apesar de levantar diversas questões éticas e morais sobre a ciência, medicina e até religiosa, o longa acaba sendo bem superficial, e com um desfecho previsível, e os efeitos visuais mal finalizados, o que não ajuda muito o filme.

Cópias: De Volta a Vida tem grandes questionamentos filosóficos e éticos em uma trama superficial em sua construção, que prende a atenção mesmo falho no visual e nos efeitos especiais, e gera discussões sobre o avanço médico e científico, com um final feliz para ambos os lados.

produto-imagem

Cópias - De Volta a Vida

5.5

Com questionamentos subliminares, Cópias: De Volta a Vida entrega uma jornada de um pai de família para trazer de volta a família perdida em um acidente, se envolvendo numa trama de desenvolvimento científico-militar, mas trata com superficialidade as questões morais sobre criar uma vida e reproduzir ela em outro ser, e ainda apresenta problemas visuais nos efeitos especiais, com um final pseudo-feliz.

0