ArtigoDestaqueTech

Multilaser H lançado com SD 710 por R$ 1.399,00

0

A Multilaser lançou nessa segunda-feira (25) o Multilaser H, seguindo uma série de lançamentos ao longo do ano, a empresa tem esse último como seu flagship.

Trazendo, além do Snapdragon 710, 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento, uma tela de 6,3″ IPS LCD com resolução Full HD, bateria de 4.000 mAh, carregamento de 15 W e USB-C, o smartphone da Multilaser traz um conjunto de especificações que promete muito, mas que me deixa um pouco cético quanto a qualidade, uma vez que já vimos isso de muitos chineses, ou seja, uma lista enorme de especificações, mas que não eram de boa qualidade e que muitas vezes deixavam o aparelho com um péssimo desempenho.

Mas, ao mesmo tempo que fico ressabiado, também tenho esperança de que seja um tempo em que as empresas brasileiras estejam aprendendo a fazer smartphones que sejam capazes de competir com os importados.

Para você que não sabe, o que eu acho difícil, marcas como Motorola, LG, Samsung entre outras, não são brasileiras, apesar de atuarem aqui desde sempre. O que temos no Brasil são a Positivo, Multilaser e Quantum, mas esse tempo todo sempre tivemos lançamentos modestos, sem muita pretensão de concorrer contra os maiores players do mercado mobile.

O MS80X, da Multilaser mesmo, chegou no início desse ano com um Snapdragon 450, um processador intermediário básico, praticamente de entrada, com 4 GB de RAM e por R$1200,00 na época do lançamento. A Quantum também trouxe smartphones intermediários aparentemente melhores que os concorrentes da época, mas parece que a Positivo não quis apostar tanto na subsidiária, que lançou seu último smartphone em parceria com a Cielo em 2018, sendo designado para um nicho bem específico.

A Positivo tem lançado alguns smartphones com sua própria marca, porém tudo muito modesto, sendo aparelhos com acabamento inferior aos concorrentes e hardware bem abaixo também.

O que muda com o Multilaser H?

Recentemente a Motorola lançou três smartphones no mercado, sendo um deles o Moto G8 Plus, o qual temos review aqui no site. No seu lançamento o aparelho chegou com um Snapdragon 665, 4 GB de RAM e 64 ROM por R$ 1699,00. O hardware do Multilaser H traz configurações superiores no papel, a mesma quantidade de câmeras e bateria, por um preço menor.

Apesar de termos no H uma Câmera de 16 MP na lente principal, 8 na Grande Angular e 5 para desfoque, contra 48 MP principal, uma câmera de ação que apenas filma com ultra estabilização e a mesma câmera de desfoque, não podemos dizer ainda se o smartphone Motorola é melhor nesse quesito. O fato é que a maioria das pessoas se baseiam mais nas especificações na hora de comprar um smartphone, porém dificilmente conseguem testar antes de comprar e isso pode fazer com que os consumidores escolham o Multilaser ao saber que há mais armazenamento, RAM e processamento pelo menor preço.

O que eu espero com essa atitude da Multilaser é que outras empresas brasileiras se posicionem da mesma maneira, fazendo frente e barulho para, ao menos, tentar competir contra as demais. E que, também com isso, os preços das concorrentes diminua, afinal o que faz um empresa vender bastante é se ela consegue ser melhor e mais barata.

Por falar nisso, será que veremos a DL se unir na briga por conquistar uma fatia maior na linha de smartphones por conta própria, ou será que ela continuará apostando em vender Xiaomi pelo dobro do preço que vemos no mercado “cinza”?

Eu realmente espero que esse barulho aumente, que as demais brasileiras se unam nessa corrida, porque, com isso os consumidores conseguem pagar preços mais justos por smartphones melhores, sem ter que abrir mão de uma coisa ou outra.

Não é um discurso contra importação ou patriotismo!

Espero que você que lê esse artigo entenda que não estou fazendo apologia ao super protecionismo ao mercado nacional, que sou contra importar smartphones, ou quero que as coreanas e as chinesas vão embora do Brasil. Não é isso!

O fato é que, durante muitos anos nós erramos com os aparelhos que fabricamos e isso fez com que a população criasse um conceito de que os celulares e smartphones nacionais não prestam. Isso pode estar mudando e devemos dar uma chance para que nosso mercado cresça, com isso aumenta a competição e com isso as outras empresas se vêem forçadas a diminuir seus preços e a trazerem um diferencial que as outras não sejam capazes de oferecer.

Vemos tantas chinesas, coreanas e norte americanas levando nosso dinheiro com o mínimo de inovação. Talvez seja tempo de ao menos incomodarmos para que haja uma inovação nesse mercado que está estagnado há anos.

Você tem alguma opinião sobre isso? Deixa um comentário ou nos mande nas redes sociais.

Ficha Tecnica

  • Tela: Full HD de 6,3″ IPS LCD
  • Processamento: Snapdragon 710 octa-core de 2,2 GHz e GPU Adreno 616
  • Memória e Armazenamento: 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento com expansão via Micro SD
  • Cameras:
    • Frontal: 16 MP
    • Traseira: 16 MP, 8 MP e 5MP
  • Bateria: 4.000 mAh com carregamento rápido
  • Outros: USB-C, Conector P2, Leitor de Digitais na traseira
0

Você Pode Gostar!