0

A Motorola revelou hoje (13) o Motorola V3! Não, calma! Na verdade ele é o Motorola RAZR, mas que traz muito do estilo do que foi o aparelho mais querido da Motorola.

Com uma tecnologia de tela dobrável, o smartphone vai numa direção diferente das outras marcas, se dobrando ao meio, ficando quadrado e menor, ao invés de se desdobrar e ficar maior como um tablet.

Ao contrário do que se pensa, ele não é uma nova versão do V3, mas sim um outro dispositivo. A Motorola diz que, no processo de criação, o design utilizado foi o que mais agradou. Fato é que isso agrada de verdade, é bonito de ver e dá vontade de ter.

Telas

O aparelho tem duas telas, sendo a principal de 6,2″, P-OLED com uma proporção 21:9 e resolução de 876 x 2142 pixel (~342 ppi). Obviamente ela se dobra como uma concha, ou como já foi bastante popular, um telefone flip, que nos leva para a tela secundária de 2.7″, o que é praticamente um smartwatch encaixado ali. A sua resolução é aparentemente baixa, mas para o seu tamanho, os 800×600 pixels estão de bom tamanho. A telinha tem tecnologia G-OLED, mas você ainda pode realizar comando através dela.

Hardware e Memória

O Smartphone dobrável da Motorola traz um hardware de intermediário premium, isso mesmo, eu escrevi intermediário. Com Snapdragon 710, 6GB de RAM e 2.500 mAh de bateria, esse smartphone não tem a intensão de ser o mais parrudo de todos os dobráveis, mas traz desempenho suficiente para brigar pela nossa atenção e com uma proposta que faz mais sentido – Ao menos para mim faz mais sentido ter um smartphone que dobra e fica mais portátil, do que um tablet que dobra ao meio e fica mais espesso, e mais pesado, drenando a bateria mais rápido por conta de telas acima de 7″.

O aparelho ainda traz 128 GB de armazenamento sem expansão de memória. Por falar em slot de micro SD, ou na falta dele, também temos a falta do slot do cartão SIM, isso mesmo! O Motorola RAZR só tem compatibilidade com o e-SIM, o Chip Eletrônico que não tem compatibilidade com muitas operadoras aqui no Brasil, ou no mundo.

Continuando sobre o Hardware do aparelho, ele tem uma porta USB-C na sua parte inferior, que serve para carregar a bateria de 2.500 mAh, com suporte ao carregamento turbo, mas que acompanha uma tomada de somente 15W na caixa, sendo que a Motorola já mandou carregadores mais potentes na linha Moto G7, mais precisamente no Moto G7 Plus. O USB-C também permite ouvir áudio, seja através do adaptador que acompanha na caixa ou fones Type-C, como a transmissão de dados via cabo.

O sensor de digitais fica na parte da frente do smartphone, na parte inferior, que é mais saliente, não mais no logotipo, como era tradição da marca. A mesma parte que abriga o conector Type-C e o auto-falante mono.

Sistema

A Motorola até trabalhou com o Android ONE por um tempo, mas já temos uns três lançamentos da empresa que não está no programa. Aqui no RAZR 2019 também não o vemos. Com Android 9, Pie, a Motorola traz suas próprias modificações no Android, que não traz muita diferença do Android ONE, mas não tem as mesmas garantias de atualização de mais versões do sistema, ou pacotes de seguranças sendo atualizados regularmente.

O App Moto Ações está incluso e suas várias funções bacanas também, como o gesto de sacudir o smartphone para acender a lanterna.

Câmeras

O smartphone da Motorola traz uma câmera de 16 MP principal, com abertura de f/1.7, com a tecnologia Night Vision, que tem se saído bem nos testes feitos em outros intermediários da marca.

A Motorola tem buscado melhorar no quesito câmeras em seus smartphones, e seu software que era bastante criticado, vem recebendo elogios.

Continuando sobre essa câmera, quando o smartphone está fechado, é possível utilizá-la para selfies, sendo que há uma função que não era muito destacada há algum tempo, que é a detecção do sorriso para capturar a imagem.

Se você gira o pulso, mesmo com o smartphone dobrado ao meio, a câmera é acionada, e se você abre o aparelho, a câmera continua aberta, dando a continuidade esperada na tarefa executada na tela menor.

Mas, ao contrário do que eu esperava, a Motorola colocou no RAZR 2019 uma câmera selfie ao lado do escutador de ligações. Ela é mais modesta, apenas 5MP, mas é só para quem faz muita questão de ter uma câmera para cada coisa. Sempre vai ter o mimimi de alguém falando “e se eu quiser tirar uma selfie com o smartphone normal, vou ter que fechar sempre?”. Se alguém quiser, está lá, se não quiser, ignora e segue o baile.

Preço e disponibilidade

Para quem é um fã de tecnologia, adora ter todos os lançamentos assim que chegam ao mercado e não ligam de pagar a mais por isso, não vai ligar de pagar US$ 1499,99, afinal a Apple cobra isso por um smartphone que não traz mudanças relevantes em design há uns três anos (eu sei que tem iPhone mais barato, mas chega a esse preço fácil).

Ele vai estar disponível para pré-venda em Dezembro, pela Verizon. As vendas e entregas ao público se iniciam mesmo, somente em Janeiro de 2020, o que me faz pensar, seria melhor chamá-lo de RAZR 2020, mas…

A Motorola já confirmou o lançamento dele para o Brasil, mas não sabemos quando e nem por quanto vai acontecer.

Imagem relacionada

E aí, ficou empolgado com o Motorola RAZR 2019? Você sente que ele é uma espécie de sucessor do Motorola V3? Deixe sua opinião nos comentários.

0

Você Pode Gostar!