CríticaDestaqueFilmes

Os 3 Infernais

0

A cena final de Rejeitados pelo Diabo, ao som de Free Bird do Lynyrd Skynyrd já havia encerrado de uma forma “épica” – dentro das proporções de um filme de terror trash em que uma família de psicopatas “rednecks” simplesmente mata e tortura e faz necrofilia, entre outros horrores – o segundo longa da agora trilogia composta por A Casa de Mil Corpos, Rejeitados Pelo Diabo e o mais novo Os 3 Infernais… Pausa. Caso você não saiba do que eu estou falando, deixe-me atualizá-lo: Rejeitados Pelo Diabo é o segundo filme da trilogia, escrito e dirigido por Rob Zombie, que volta às telonas agora em outubro, com Os 3 Infernais.

Se com Rejeitados Pelo Diabo, dava para não ter visto o primeiro filme para curti-lo (eu mesma acabei vendo o primeiro só depois), pode-se dizer o mesmo de Os 3 Infernais, que parece ter sido feito bem especificamente com o propósito de agradar a antigos fãs e conquistar um novo público também, já que tem um bom flashback (que é bem feitinho) para situar os novos espectadores. Mas já vou dizendo: apesar de ser o mais “leve” da trilogia, os mesmos elementos contidos nos dois primeiros filmes ainda estão lá. Depois de anos tendo sua vida transformada em um inferno na cadeia por Greta, Baby parece flertar cada vez mais com a insanidade.

Antes de continuar, também preciso dar um outro aviso: o público-alvo desse filme é, bem, digamos que bem específico. Os fãs dos filmes de Rob Zombie, e fãs de filmes do estilo, como Machete (sim, e temos o próprio Machete em Os 3 infernais), Planeta Terror (dirigido por Robert Rodriguez e produzido por Quentin Tarantino), o qual até mesmo contém um fake trailer feito pelo Rob Zombie; Werewolf Women of the SS (e o fake trailer que acabou dando origem a Machete e sua sequência anos depois).

Quer dizer, não é do maior estilo Assassinos por natureza, ainda que pincele, desde o começo, lá em A casa de mil corpos – claramente inspirado em O massacre da serra elétrica -, temas abordados no filme de Oliver Stone. O filme não pretende ser cult, muito menos politicamente correto. Se você desconhece a família Firefly, ainda assim pode curtir esse novo filme se esse é um tipo de filme que você curte. Porque eu já vi várias críticas falando mal do filme, e a maioria é de pessoas que já foram ver o filme desgostando o diretor e/ou o estilo.

Bem, é um festival de gore, violência gratuita, psicopatas insanos que, ainda que tenham sido humanizados no segundo filme da trilogia, agora simplesmente vão lá e deixam seu rastro de violência gratuita e tortura e sangue, brindando a fãs do diretor ou simplesmente amantes do estilo, com cenas recheadas de humor negro, mais sangue, uma ação bem rápida a partir do segundo ato, já que o primeiro de foca no flashback e na fuga da prisão de 2 dos 3 infernais do título.

Eu já pretendo ver de novo, sim, eu sou uma das que amou Rejeitados pelo diabo e ficou pensando assim, “mas, Rob Zombie, você me fez amar e ter dó de 3 serial killers sem coração, como pode?” Então, essa é, ironicamente, a beleza da arte. Obviamente que o trabalho de Rob Zombie de nos fazer nutrir empatia por Spaulding, Otis e Baby no segundo filme já nos prepara para simplesmente curtir os 2 insanos que fogem mais um terceiro parente infernal (já que Sid Haig, infelizmente, acabou falecendo apenas 5 dias depois do lançamento do filme).

Em um espetáculo brutal de violência e gore, que me remetem ao quão violentamente bom ficou o novo Mortal Kombat (aliás, imaginem esses 3 malucos em MK!), em um filme muito bem filmado e produzido, com uma história caótica sobre seres “humanos” idem que mescla vários estilos, passando pelo Western, exploitation ao cubo, found footage, entre outros, para contar uma história. Super recomendo, mas, para o público-alvo que já citei. Como todo filme de Rob Zombie, tende a ser ame ou odeie. Eu amei!

Artigo autoral de Ana Duarte do Bagulhos Sinistros para o Geek Antenado.

produto-imagem

Os 3 Infernais (3 From Hell)

8

  • As últimas vezes em que veremos Sid Haig reprisando seu papel como Capitão Spaulding
  • Festival de gore e violência gratuita e humor negro
  • Extremamente bem filmado e dirigido, mesclando gêneros
  • Dos 3 é o que é o mais “leve” em termos de violência gratuita, e só por isso tirei um ponto do 10 da nota
  • É ame-ou-odeie, pelo que já constatei em relação aos filmes do Rob Zombie
0