ArtigoDestaqueTech

Mi 9 Pro 5G, Mi Mix Alpha e Mais | Resumo do Evento da Xiaomi

0

A Xiaomi realizou um evento em sua cidade natal hoje (24) para apresentar o já esperado Mi 9 com 5G, o bastante rumorado Mi Mix, que traz mais que a câmera de 108 Mega Pixels e também teve TV e MiUi 11.

Nova TV 4K

A Xiaomi já possui alguns modelos de Smart TV no mercado, mas dessa vez ela trouxe para nós uma TV com suporte a arquivos 8K, apesar do painel com resolução 4K.

O funcionamento se dá em um downscaling, realizado pelo novo processado de quatro núcleos e 12 nm, fruto da parceria com a Amlogic. Ainda é difícil encontrar vídeos com tal resolução, mas se você tiver algum no PC, pode jogar na tela por um pendrive, ou buscar algum por WI-Fi.

Batizada de Mi Full Screen TV Pro, a TV conta com 2GB de RAM e 32 GB de armazenamento interno. O sistema responsável pelas funções smart é o PatchWall AI, com a XiaoAI embarcada para controlar os dispositivos inteligentes das casa.

A TV também conta com uma dedicação ao design, sendo a moldura da tela de alumínio e a traseira em fibra de carbono (ou imitando o material), 97% de aproveitamento de tela.

Com as vendas marcadas para o dia 27, a Mi Full Screen TV Pro chama a atenção pelo preço competitivo no mercado Chinês:

  • 65 polegadas: 3.399 iuanes (R$ 1956,00)
  • 55 polegadas: 2.399 iuanes (R$ 1380,00)
  • 43 polegadas 1.499 iuanes (R$ 863,00)

Mi 9 Pro 5G

Um aparelho que traz exatamente tudo aquilo que já deveria ter chegado na sua versão original, o Mi 9. Esse é o resumo que podemos fazer desse lançamento.

Com um Snapdragon 855+ da Qualcomm, 8 ou 12 GB de RAM, 128, 256 ou 512 GB de armazenamento interno e 4.000 mAh de bateria, o smartphone vem ainda com suporte a carregamento sem fio de 30W e 40W com fio.

A promessa é que a recarga sem fio complete uma carga em até 69 minutos e com fio a carga esteja completa em 48 minutos. Além disso, o Mi 9 Pro possui recarga reversa no padrão QI de 10W.

Sobre as câmeras, parece que temos o mesmo conjunto que já vimos no Mi 9, 48 MP na lente principal, 16 MP na Ultrawide e 12 MP na telefoto. Outra coisa que permanece igual é a tela de 6,4″ OLED com resolução Full HD+. Alias, nem tão igual assim, pois a Xiaomi diz ter realizado uma calibragem profissional no componente. O que isso significa? Não sei, mas dia 27 poderemos esperar algum canal gringo nos esclarecendo isso.

O atrativo principal dessa variante do Mi 9 é sua compatibilidade com as três operadoras de 5G na China. Segundo a Xiaomi, ela é a primeira a trazer compatibilidade total com 5G chinês.

O Mi 9 Pro 5G estará disponível dia 27, com a TV apenas no mercado chinês inicialmente. Vamos aos preços:

  • Mi 9 Pro 5G de 128 GB e 8GB de RAM 3.699 iuanes (R$ 2.129)
  • Mi 9 Pro 5G de 256 GB e 8GB de RAM 3.799 iuanes (R$ 2.186)
  • Mi 9 Pro 5G de 256 GB e 12GB de RAM 4.099 iuanes (R$ 2.359)
  • Mi 9 Pro 5G de 512 GB e 12GB de RAM 4.299 iuanes (R$ 2.474)

Ainda não temos previsão de quando veremos o Mi 9 Pro 5G em outros mercados como o Brasil.

Mi Mix Alpha

O Mi Mix Alpha já vinha sendo rumorado com um aparelho a ser apresentado nesse evento, porém o único ponto a ser vazado nesses rumores, que eu me lembro, é sobre a câmera de 108 MP que a Xiaomi fez em parceria com a Samsung.

Pois é, 108 mega pixels em uma câmera de smartphone. Mas, também temos uma tela que circula quase todo o corpo do aparelho, trazendo um aproveitamento de 180% de aproveitamento corpo/tela. Recentemente vimos que uma tendência de tela em cascata está surgindo entre as fabricantes, mas a Xiaomi foi além.

Descrito com um smartphone conceito, o Mix Alpha entrará em produção com uma pequena escala, e vendido por um valor de 19.999 iuanes, ou US$ 2.800, ou até mesmo nada menos que R$11.500,00! Não é difícil comparar esse valor com os já muito caros valores dos smartphones dobráveis.

Sua tela tem quase 8″, 7,92″ exatamente, com uma curva que quase faz as extremidades se encontrarem, sendo separadas apenas por uma faixa de cerâmica que acomoda o módulo das câmeras. O falante para chamadas, o sensor de digitais e também o de proximidade estão debaixo da tela.

Também debaixo de tanta tela temos um Snapdragon 855+, 12 GB de RAM e 512 GB de armazenamento, modem 5G, bateria de 4050 mAh com carregador de 40W. Talvez 4050 mAh de bateria não seja o suficiente para tanta tela, mas eu não imagino que o aparelho fique sempre ligado, uma vez que algumas animações mostram uma transição como se fossem duas telas funcionando separadamente.

Ainda sobre a tela, temos as notificações na lateral do aparelho, como status de bateria, rede celular e os botões de volume, esse último com um sensor de preção para reduzir os toques acidentais.

Falando agora das câmeras, temos o já esperado sensor de 108 MP, sendo o primeiro smartphone com tanta resolução em um sensor. Combinados em um quadrado 2×2, os pixels se unem para formar uma imagem mais clara e de resolução menor, com 27 mega pixels. Essa tecnologia é chamada pela Xiaomi de Tetracell e combinam os pixels de 0,8 μm em um pixel maior de 1,6 μm, o maior já visto em smartphones. – Parece que a Xiaomi quer ser a primeira de muitas formas com o Mix Alpha-.

Ele não para por aí, com uma ultrawide de 20 mega pixels (f/1.69) e uma teleobjetiva de 12 mega pixels (f/2) com aproximação física de duas vezes, o smartphone obviamente dispensa um sensor para selfie, já que temos tela em todo o aparelho, sendo possível decidir como fotografar em diferentes situações, enviando as imagens para traseira do aparelho quando necessário.

Pelo seu custo elevado e sua estrutura um pouco (bastante) complexa, o Mi Mix Alpha só chegará em Dezembro, em pequena escala, como já informamos. Foi da mesma forma com a primeira geração da linha Mi Mix, custo elevado e fabricação reduzida. Os valores, como já dito mais acima, ultrapassam facilmente os dez mil reais, mas a inovação tem seu preço.

MiUi 11

No evento a Xiaomi também oficializou a MiUi 11, sua interface sobre o Android. Geralmente a Xiaomi foca mais nas atualizações de sua interface que nas versões do Android para seus aparelhos, implementando recursos que nem mesmo encontramos na versão stock do robozinho verde.

Entre as novidade dessa versão temos o primeiro dimensionamento de fontes do mundo, mais velocidade, novos efeitos visuais com nova fonte e, o que a empresa chama de “nova experiência visual e de áudio”.

A empresa prometeu entregar as atualizações da ROM Chinesa até a primeira metade de Novembro, sem previsão para a chegada da versão global do sistema.

Há também algumas outras funções como Family Guard, uma espécie de controle parental, que permite definir limite de uso para aplicativos e verificar a localização de algum membro da família em tempo real.

Na lista de atualizações temos aparelhos como Mi Mix 3, Mix 2s, Redmi Note 7 e 7 Pro, entre outros muitos.

Atualização da MiUi na China | Previsão Cronológica

  • Mi 9
  • Mi 9 Transparent Edition
  • Mi 9 SE
  • Mi MIX 3
  • Mi MIX 2S
  • Mi 8
  • Mi 8 Youth
  • Mi 8 Explorer’s Edition
  • Mi 8 (in-display fingeprint)
  • Mi 8 SE
  • Mi MAX 3
  • Redmi K20 Pro
  • Redmi K20 Pro Premium Edition
  • Redmi K20
  • Redmi Note 7
  • Redmi Note 7 Pro
  • Redmi 7
  • Mi 9 Pro 5G
  • Mi CC9
  • Mi CC9 Mito Custom Edition
  • Mi CC9e
  • Mi MIX 2
  • Mi Note 3
  • Mi 6
  • Mi 6X
  • Redmi 7A
  • Redmi 6 Pro
  • Redmi Note 5
  • Redmi 6A
  • Redmi 6
  • Redmi S2/Y2
  • Mi MIX
  • Mi 5s
  • Mi 5s plus
  • Mi 5X
  • Mi 5C
  • Mi Note 2
  • Mi PLAY
  • Mi Max 2
  • Redmi Note 8
  • Redmi Note 8 Pro
  • Redmi 5 Plus
  • Redmi 5
  • Redmi 5A
  • Redmi 4X
  • Redmi 5A
  • Redmi Note 5A Pro

0