CríticaDestaqueEstreias da SemanaFilmes

Homem Aranha: Longe de Casa

1

O filme começa com Whitney Houston I Will Always Love You e uma homenagem no mínimo cômica ao Homem de Ferro. Você não saberá se chora ou ri, mas seja livre. Bem, vamos ao que interessa.

Após os acontecimentos de Vingadores: Ultimato, todo o planeta tenta se adequar as mudanças ocorridas nesses 5 anos em que metade da população foi “blipada” (não sei se manterão o blip na versão dublada). Para os que ficaram, a superação foi algo crucial, enquanto que, para os que voltaram após o blip, aparentemente, tudo não passou de um curto período de tempo. Tanto é que todos voltam exatamente da mesma forma que sumiram, quanto os alunos “pirralhos” se tornaram jovens cobiçados, cheios de estilo e mais velhos – Palavra dos jornalistas da escola.

A Crise e a Dor da Perda

Enquanto isso, vemos que o Homem Aranha está fazendo campanhas para arrecadar fundos para os blipados desabrigados. Afinal, quem vai guardar o apartamento de alguém que virou poeira diante dos olhos de todos? O que se torna um problema quando todos voltam. E, nesse mesmo ato, é possível ver que Peter Parker (Tom Holland) está passando por problemas emocionais após a morte de Tony Stark (Robert Downey Jr) e todas as pressões da mídia e população para saber quem será o novo Homem de Ferro ou se o Homem Aranha será o novo Homem De Ferro. Realmente é um ponto de superação difícil para muitos, principalmente para o Peter.

Com tudo isso acontecendo no mundo e todas as crises de Peter, uma viagem da escola para Europa acontece, enquanto ele tenta fugir de ninguém menos que Nick Fury (Samuel L. Jackson), que está tendo dificuldades para resolver alguns problemas com monstros e ataques pelo planeta. Peter quer um tempo como um garoto normal e uma chance para contar a MJ (Zendaya) o que ele sente por ela, mas um concorrente tenta atrapalhar seus planos, e todos sabem que Nick Fury não desiste fácil.

Após algumas situações cômicas e várias aventuras, o Homem Aranha chega até uma base da S.H.I.E.L.D. e conhece o que seus amigos chamam de Mysterio ( Jake Gyllenhaal), um cara que vem do multiverso, de uma outra Terra que foi destruída pelos Elementais.

O que vem depois disso é muita comédia e ação! Alguns arcos vão sendo revelados sutilmente e muita história vai surgindo.

As Batalhas

Desde o início do filme temos muita ação, as batalhas contra os elementais e os efeitos especiais são muito bons. A Marvel realmente aprendeu como se faz, e tornou tudo muito realista e aparentemente fácil de se fazer, mas não vamos nos enganar, não foi nada fácil.

Tanto o Mysterio como o Homem Aranha tem momentos lindos na telona, em que você vibra na cadeira sem conseguir tirar os olhos deles.

Momentos Cômicos

Sempre que Peter está com a turma da escola, com a tia May (Marisa Tomei) ou com o Happy (Jon Favreau), você pode esperar uma situação engraçada vindo. As piadas, as situações embaraçosas são momentos incríveis, principalmente uma cena no museu, onde Happy leva MJ, Ned (Jacob Natalina), Betty (Angourie Rice) e Flash (Tony Revolori) para o cofre da Rainha e eles começam a fazer confissões embaraçosas pensando que irão morrer.

Uma situação marcante, ao menos para mim, é quando o Aranha tem que utilizar o “arrepio do Peter”, quer dizer, o sentido aranha para lutar contra o vilão, o fato de ele estar praticamente cego e somente seu sentido poder salvá-lo.

Cenas Pós Crédito

Sim, temos duas cenas Pós créditos! Posso dizer que o hype para o próximo filme de homem Aranha, está lá encima! Com certeza estamos inseridos no universo do teioso de uma vez por todas. A fase 4 da Marvel começou com tudo e a expectativa para os próximos filmes está bem grande.

Homem Aranha Longe de Casa é muito superior ao seu antecessor, e a consolidação dos personagens é ótima. Como dizem, zero defeitos.

produto-imagem

Homem-Aranha: Longe de Casa

10

  • História bem construída
  • Vilão bem desenvolvido
  • Momentos Cômicos bem aplicados
  • Batalhas e efeitos ótimos.
    1