CríticaDestaqueFilmes

Democracia em Vertigem

0

*OBS: o Geek Antenado não tem qualquer ligação relacionado a politica, esta é uma critica formal como quaisquer outras criticas feitas no site. E tudo que foi escrito é do ponto de vista e de autoria do redator que se mantem distante de qualquer ligação entre espectros políticos. Sem provocar desavenças com movimentos relacionados a este filme.

Um país dividido, a história sobre o processo de impeachment até a eleição de 2018. Vários fatores que levaram o pensamento da cineasta Petra Costa em lançar o documentário Democracia em Vertigem para a Netflix esta semana.


Uma coisa que foi pensado após o trailer é que esse filme seria uma versão oposta ao filme “o processo” mas foi em mente aberta o qual tive a certeza de que era um filme que retrata a verdade sobre tudo. Não querendo intervir em assuntos políticos mas poucas cenas ou até várias em seu todo apontaria mais a apresentação do lado que estava perdendo ao lado que estava ganhando força e os que eram favoráveis a justiça ser feita para todos. A narrativa era totalmente neutra e sem dúvida foi de difícil compreensão de que se tratava de uma produção o qual apontava culpados. Pois foram apontados quem eram vilões e heróis em torno deste processo.


O que muito se atacava ao longo do que foi mostrado no trailer é de ser um documentário que “vitimiza” o antigo governo anteriormente de Dilma Rousseff. Aqui não foi visto nenhuma vitimização e sim a compreensão das falhas que o antigo governo teve em torno do mandato iniciado em 2011 que resultou em um pedido em 2015. Toda a história em si também demonstrou os fatos e as virtudes que os responsáveis pelo processo e envolvidos no governo provisório anteriormente de michel temer também tinham suas falhas e cedo ou tarde seriam pegos por essas investigações. Algo sem muita construção e vivência para se manter na ativa. Outra coisa que foi mostrado é as narrativas dos que estavam envolvidos. Na exibição de gravações e conversas muito mostradas ao público e relatos em que havia mais gente envolvida em esquemas de corrupção foram a ferramenta para se iniciar um estouro em plena fonte da república.

Foi essa percepção que se nota ao ver esse filme foi a trajetória do Brasil em governos e períodos diferentes, tanto do regime militar quanto nas manifestações e processos de impeachment até na última eleição. Um pensamento que eram vários fatos de tons agressivos, vividos em uma guerra que só de pensar em tudo agregado no meio de quase uma década, o Brasil estaria com uma bomba relógio vendo que a cada segundo e a qualquer momento irá explodir. Essa vertigem significou algo a mais de que vivemos alimentado pelo medo e pelo ódio que existe no ser humano e imaginar que o país que vivemos seria de fato o primeiro a se auto destruir. Algo que realmente mostrou clareza tanto no longa quanto na vida real em um cenário que vivemos. Onde reformas não saem e cada dia são dificultada e conflitos no congresso que demonstram que uma simples atitude seria a faísca acesa para uma carga de explosão o suficiente para atingir milhões de brasileiros. Criando uma crise e iniciando um novo regime a mando da atual linha executiva do país para se tirar a força a mancha que o Partido dos trabalhadores fez.


No geral, é um documentário sem muito alarde e muito provavelmente com um pé atrás de quem acreditou no espectro da esquerda brasileira apontada como vítima de todo o processo mas neste filme foi comprovado o contrário que não houve sequer vitimização de ninguém. O que se viu foi uma história por trás do processo até os dias atuais com o governo talvez o que faltou mesmo foram detalhes de como a história termina mas quando você vivencia todos os fatos ocorridos em um período de 8 anos já é difícil de se falar mais coisa e buscar um final bonito.

produto-imagem

Democracia em Vertigem

6.6

Filme que entrega o oposto do que foi proposto e conta uma verdade além das expectativas.

0