ArtigoListaListaSéries e TVVídeo

The Umbrella Academy | 7 Motivos para assistir The Umbrella Academy

0

Dia 15 de fevereiro estreou a mais nova adaptação dos quadrinhos na Netflix The Umbrella Academy, uma história diferente de tudo que já se viu nas histórias de super-heróis, e precisamos enaltecer uma incrível série e história que ganharam vida nas mãos da Netflix.

Confira os 7 motivos para você assistir The Umbrella Academy, que também é os motivos por ser uma das melhores séries de super-herói:

Não é Marvel. Nem DC

The Umbrella Academy

É inegável que a década atual seja a Década dos Heróis. Todos – ou a maioria – das histórias de super-heróis que vem ganhando vida nas telonas, telas e telinhas vem ou da Marvel ou da DC, com poucos gatos pingados de outra editora. Mas que não tem o impacto como as produções das grandes editoras. E isso é a grande vantagem de The Umbrella Academy.

Sem uma fórmula de sucesso ou uma história sombria e realista, The Umbrella Academy consegue ser algo novo em sua construção, desenvolvimento de personagem, gênero e visual. E se assumir como algo que não é Nem Marvel, Nem DC permite alcançar uma personalidade única e fugir de certas amarras nas fórmulas e mundos realistas.

Elenco

The Umbrella Academy

Um ponto muito importante na história de The Umbrella Academy, ou mais significativo, é a diversidade. A premissa da série inicia com 43 mulheres ao redor do mundo dando a luz, miraculosamente simultaneas – bem Sense8 – a 43 crianças, cujas mulheres não estavam grávidas ao nascer do dia. Por estarem em diversos locais, era notável a diversidade étnica que veríamos nas crianças adotadas pelo Sir Reginald Hargreeves (Colm Feore). E na série vemos isso com o elenco diverso.

Além da diversidade étnica, o elenco em si possui um carisma incrível em tela, e conquista todo mundo – até os mais embustes – e toda a construção da narrativa faz você se apaixonar mais pelos personagens, e compreender seus dilemas e personalidades. E não apenas os heróis, como os vilões tem seu carisma e personalidades muito interessantes.

É apenas uma Família

THE UMBRELLA ACADEMY

Você pode achar que The Umbrella Academy é mais uma série de super-heróis básica, com o mundo acabando em um apocalipse genérico. Só que não!
A série é sobre a família Hargreeves, uma família disfuncional, com pessoas normais, que se você tirar o elemento “poderes especiais” eles tem dramas e dilemas reais, e plausíveis, como qualquer família. E você compreende todos seus medos, inseguranças, medos e sabe construir personagens a partir de dilemas mundanos. Você presencia mais a interação entre os irmãos e como uma família funciona de diferentes formas.
Ficamos irritados com a lealdade cega de Luther a seu falecido pai, e sua busca por ser ainda o líder dentro do grupo; você entende a rebeldia de Diego e seu papel como contraponto de Luther, além de conseguir ver a fragilidade e gentileza do personagem; você compreende a dor de Allison e seu repulsa em usar seus poderes e as consequências deles, além de ser uma mediadora entre seus irmãos; você também entende os motivos de Klaus ser o vida louca, que se droga ao descobrir as extensões de seus poderes relacionado a seu medo, e ainda vê um amadurecimento do personagem a partir da metade da série; você se conecta com as inseguranças de Vanya e como sua infância construiu uma adulta introspectiva, fechada e insegura.

Mais ainda, você entende que a criação autoritária e metódica causa adultos com problemas psicológicos e sociais, deixando traumas reais.

Multi-Gênero

The Umbrella Academy

Hoje em dia é difícil encontrar uma produção que seja apenas um gênero. E principalmente em uma série, a mistura de gêneros abre mais o leque de interesse dos telespectadores. O grande desafio do roteiro é saber dosar os gêneros, e conseguir transitar entre um e outro. E The Umbrella Academy consegue ser tudo e muito mais.

A ação cheia de adrenalina das lutas, o drama pessoal de cada personagem e seus dilemas, a comédia estranha em situações de sarcasmo ou simplesmente uma situação bem pontual, elementos de ficção científica, e o próprio gênero de aventura de super-heróis; The Umbrella Academy dosa vários gêneros, elementos e diálogos e transita com fluidez entre eles sem parecer forçado, apenas com a adição de uma música que reforça a ideia e o tom da cena, ou simplesmente faz o oposto, e não causa desconforto visual e auditivo, e cria algo totalmente novo e inesperado.

Trilha Sonora

A trilha sonora ajuda a criar o tom e o clima de uma ação, mas a trilha sonora de The Umbrella Academy é bem vasta. Isso é até meio óbvio, uma vez que o criador das HQs, e produtor da série é ex-vocalista da banda My Chemical Romance, Gerard Way. Ele próprio contribuiu com covers de músicas como Hazy Shades of Winter, e Happy Together.

O nome por trás da trilha sonora de The Umbrella Academy já trabalho em série como Fargo, Star Trek: Discovery e Power, Jeff Russo. Você pode ouvir a trilha no Spotify, confira o link abaixo:

Fotografia

The Umbrella Academy

Já tivemos o visual colorido e caótico de Guardiões da Galáxia e Thor: Ragnarok, o sombrio e acinzentado Batman vs. Superman, além de visuais incríveis de vários outras produções, mas The Umbrella Academy tem uma fotografia deslumbrante que lembra uma história se passando nos anos 1950.

Os vestidos, os cabelos, todos os cenários, por mais que saibamos que a história se passa nos dias atuais, o visual tanto da fotografia quanto do design de produção reforçam a cultura dos anos dourados. Além de trazer cenas bem simétricas e centralizadas, com filtros amarelados, meio desbotados, e um incrível visual que nos transporta para um presente antiquado.

É um pouco Brasileiro

Gabriel Bá e Gerard Way na coletiva de The Umbrella Academy. Créditos: Collider

A história tem a mãozinha brasileira. Gabriel Bá foi o ilustrador da série de histórias em quadrinhos devido a seu estilo de desenho, e escolha pessoal de Gerard Way.

The Umbrella Academy ganhou um Eisner em 2008, e a série também é produzida pela dupla criadora da história, o ex-vocalista do My Chemical Romance, Gerard Way, e o quadrinista brasileiro Gabriel Bá, que estiveram no processo completo de produção da série, e foram essenciais para a escolha do elenco, adaptação da história Suite do Apocalipse, e manter o tom e estilo visual criado na HQ.

0

Você Pode Gostar!